Por um lindo dia de chuva!

Por um lindo dia de chuva!

Tutty Vasques

21 Outubro 2014 | 06h02

Os caiçaras – ô raça! – costumavam dizer que “está dando praia” só para humilhar os caipiras em dias felizes de Sol. Não demora, teremos todos – não importa a distância do mar – que explicar a nossos netos ou bisnetos que “tempo bom” em certa época era assim: céu sem nuvens, palco livre para o astro-rei a pino brilhar. Enfim, isso que cada vez mais identificamos com o inferno já foi uma delícia!

 

Lá em casa, toda tardinha de sexta-feira nublada – e olha que morávamos longe da praia –, a gente oferecia à Santa Clara um ovo no fundo do quintal (vale perder um tempinho explicando às crianças o que era um quintal) para que dia seguinte ela mandasse o Sol, esse mesmo que virou vilão da meteorologia, o inimigo número um das fabulosas garotas do tempo dos telejornais brasileiros.

 

São Paulo viveu ontem um raro lindo dia de céu nublado, quase chuva. O conceito de ‘tempo bom’ mudou: o Sol, sabemos agora, não pode viver tão longe da chuva – e vice-versa!