Por Zeus!

Tutty Vasques

09 de novembro de 2008 | 14h09

Era só o que faltava! O ministro Gilmar Mendes quer acabar com o que a Polícia Federal tem de melhor: o marketing. Responsável, entre outras coisas que irritam o presidente do STF, pelo batismo daquelas operações cujos nomes evocam a mitologia grega à luz do crime contemporâneo. Muita gente no Brasil aprendeu o que sabe a respeito de Eros e Afrodite em notícias sobre apreensão de remédios contra a disfunção erétil e de combate ao tráfico de mulheres, respectivamente.

Polícia também é cultura quando vai buscar analogia para suas ações em Ícaro, Artemis, Euterpe, Temis ou no bom e velho Cavalo de Tróia. Mas o ministro Gilmar Mendes acha isso tudo uma palhaçada: recomendou que juízes evitem utilizar em seus despachos tal nomenclatura. Enfim, tem gente que não gosta até de samba e, como diria João Gilberto, “pra que discutir com Gilmar?”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: