Pra dizer adeus!

Tutty Vasques

02 Junho 2012 | 05h58

reproduçãoRonaldinho Gaúcho praticamente não dormiu na noite de quinta-feira, depois de anunciar sua saída do Flamengo. Ontem de manhã, foi ao síndico reclamar da algazarra até altas horas da madrugada na vizinhança, sem se dar conta de que comemorava-se seu bota-fora do condomínio.

Se não vai deixar saudades no Flamengo, imagina no único pedaço onde, a julgar pelo que se ouvia nas casas próximas, a alegria de viver no Rio de Janeiro fluía entre amigos do pagode virado! Em nenhuma outra parte da cidade – nem na praia –, Ronaldinho deixou pegadas.

Fora do condomínio particular de seu espírito festeiro, o jogador interpretou nos últimos 17 meses esse personagem triste, contido e de frases feitas até na hora de dizer adeus à nação rubro-negra indignada com o custo/benefício do seu futebol: “Em todos os lugares que vou, os torcedores me tratam com carinho!”

Coisa de quem não tem ido a lugar nenhum! Bronca da torcida do Flamengo à parte, o Rio dá adeus com absoluta indiferença a um cara que nem de longe chegou a conhecer.

Azar dos moradores do Santa Mônica Jardins, na Barra da Tijuca, esses que viram muito de perto o Ronaldinho que não ousou ser ele mesmo fora do condomínio!