Pra não dizer que não falei de flores

Tutty Vasques

18 de março de 2010 | 09h25

reprodução

reprodução

Amigos do peito de José Serra têm um tremendo desafio pela frente: como ligar amanhã para dar os parabéns ao governador sem parecer gozação com o candidato virtual da oposição? Tem gente no PSDB que, para salvar o aniversário de qualquer mal-entendido constrangedor, pretende dar à efeméride caráter de bota-fora do inferno-astral nas pesquisas. Você que, como o Serra, é tucano de Peixes, sabe: foi um verão pra se esquecer este que termina às 14h32 de sábado com a Dilma entrando em Áries virada pra Lua!

 Pra que lembrar disso em dia de festa?! Não é toda hora que se comemora 68, só de 20 em 20 anos o Zuenir Ventura escreve livro a respeito. Então é isso: “Feliz 68, Zé!” – a última vez que Serra ouviu a saudação ainda não havia AI-5. Daí a se estabelecer no papo uma relação afetiva qualquer entre aquele réveillon e a nova idade do governador é um pulo sobre o assunto que se quer evitar. Fica combinado que amanhã nem o Tasso Jereissati vai tentar empurrá-lo para a corrida presidencial, ok? Os mais íntimos, podem até resvalar o tema com piadinhas de duplo sentido, tipo “ano que vem, você vai fazer 69 com a gente no Palácio do Planalto, hein!” Dá pra ver daí as gengivas do Serra aparecendo em sinal de sorriso?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.