Pyongyang, urgente!

Tutty Vasques

18 de julho de 2012 | 02h08

reproduçãoAinda que o expurgo do vice-marechal Ri Yong-ho, chefe do Estado-Maior do Exército Popular da Coreia do Norte, não tenha nada a ver com a chegada do Mickey Mouse pirata a Pyongyang, não se pode negar que o país mais fechado do mundo ficou também mais animado com o jovem ditador Kim Jong-un no poder.

Nunca antes na história da dinastia Kim a vida como ela é no pedaço mais comunista do Extremo Oriente asiático frequentou tanto o noticiário ocidental sem motivação bélica em pauta.

Agora mesmo, o mundo se volta para a Coreia do Norte intrigado com a mulher misteriosa que anda pra cima e pra baixo com líder gorducho que sucedeu o pai há 7 meses na chefia de Estado.

Seria um novo romance, uma velha amiga ou sua mulher desde 2009? A melhor das fofocas aponta para o renascimento de uma paixão antiga de Kim Jong-um pela ex-cantora pop Hyon Song-wol, famosa por liderar a Bochonbo Electronic Music Band, cujo maior sucesso foi ‘Uma donzela excelente como um cavalo’.

Ainda que isso não tenha nada a ver com a ascensão e a queda, respectivamente, do Mickey e do líder do Estado-Maior, é bom saber que, também lá, uma bomba pode ser só uma nota na coluna social.