Quais são as nossas ideias?

Tutty Vasques

18 de julho de 2014 | 06h05

O jornalista Marcos Sá Corrêa, gênio de sua raça, ligou certa vez para o economista Eugênio Gudin atrás de notícia. Logo reconheceu a voz do ex-ministro da Fazenda atendendo do outro lado da linha, mas cumpriu as formalidades dos contatos telefônicos profissionais:

– Alô!
– Eu queria falar com o professor Eugênio Gudin, por favor.
– Quem deseja?
– Marcos Sá Corrêa, da revista ‘Veja’.
– E qual é o assunto?
– Eu gostaria de trocar umas ideias com ele!
– Pois não, meu filho, quais são as suas?

A história é antiga, virou ‘case’ divertido de embaraços da profissão-repórter, mas talvez sirva de roteiro para o diálogo que todo candidato tenta estabelecer com o eleitor em busca de voto. A troca de ideias pode ser muito mais eficaz na boca de urna que a troca de acusações que se ensaia para a campanha.

O Brasil está precisando de ideias! Quais são as suas, senhores candidatos? Vocês vão precisar muito delas para acabar com tudo-isso-que-aí-está!

Tendências: