Que vença o pior!

Tutty Vasques

24 Fevereiro 2009 | 10h15

Dizer que “o Carnaval de São Paulo não é pior que o futebol do Rio” talvez seja a melhor maneira de não tomar partido nesse tipo de conversa que não costuma terminar bem. Um jeito educado de se indispor logo de cara com as duas pontas do orgulho provinciano no vaivém da ponte aérea de maledicências entre as duas maiores cidades do País.

A idéia de túmulo do futebol em construção no Rio de Janeiro incomoda tanto ao carioca quanto a metáfora fúnebre do samba amargada há décadas pelo paulistano. A comparação entre os féretros tende a ser – se já não é – último recurso nessa rivalidade boba que uns e outros teimam trazer à baila, só para espezinhar o estigma alheio.

Malvadeza típica do bairrismo que exagera sempre o que não é o forte do vizinho. Ou estaríamos aqui comparando o Carnaval carioca ao futebol de São Paulo para definir quem é o melhor em tudo.

E não está mais aqui quem falou!

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole desta terça-feira no ‘Estadão’