Quero o meu Muricy de volta!

Tutty Vasques

07 de dezembro de 2010 | 06h17

ffgfgfgTão improvável quanto a adaptação de Zeca Pagodinho à vida como ela é em Doha ou Abu Dhabi, Muricy Ramalho e o Rio davam a entender no domingo que nasceram um para o outro. Que bom humor é aquele, caramba?! Os jogadores do Fluminense ainda tentaram atiçar a velha alma ranzinza com um banho de água gelada durante a entrevista coletiva do técnico campeão, mas ele, como passou a dizer depois que se mudou de Copacabana para Ipanema, “não ixquenta” mais com nada.

Ou seja, o bom e velho Muricy perdeu inteiramente a graça! Sua irritação com a vitória proporcionava alguns dos raros momentos originais do futebol brasileiro nos últimos tempos. “Isso aqui é trabalho, meu filho!” – era a coisa mais gentil que conseguia dizer diante de um elogio pela conquista de um campeonato. Alguns de seus chiliques em dia de festa são, ainda hoje, tão memoráveis quanto sua incrível coleção de títulos.

Tamanho patrimônio moral pode ter enferrujado com a maresia. Seis meses arrastando sandálias pelo calçadão da praia a caminho do treino dá nisso. Capaz de voltar ao normal nas férias em São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: