Se vira!

Tutty Vasques

31 de dezembro de 2008 | 15h21

Pra começar, dê um tempo em seu cartão de crédito: 2009 vai ser o ano das coisas que, como diz a velha propaganda, o dinheiro não compra. Sobreviverá melhor à crise quem redescobrir o prazer naquilo que não está à venda. Sonhar que vai dar tudo certo, por exemplo, não custa nada. Vamos lá, tente ser feliz de graça, sem juros, correção monetária ou grandes depressões.

Valorize um beijo, um abraço, um aperto de mão, água geladinha, e-mail de amor, passeio no parque, mergulho no mar, pelada com os amigos, canapé de vernissage, pay-per-view do vizinho, batalha naval, baralho, banco imobiliário, amarelinha, pic-nic, amostra grátis de amendoim, parada gay, casa da sogra, virada cultural, noite de autógrafos, bloco de carnaval, treino físico do Fenômeno, luau, chat…

O resto fica por conta da imaginação de quem, faz tempo, não se contenta com as coisas que o dinheiro não compra. Como diz o novo slogan da propaganda financeira, “Feliz 2000inove”.

texto publicado no caderno Metrópole/Cidades do ‘Estadão’

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: