Sem dó do porco!

Tutty Vasques

01 Novembro 2012 | 06h54

ilustração pojucanÉ como estar com a mãe na UTI ouvindo a todo instante piadinhas sobre a orfandade. Ninguém respeita a dor e o desespero do torcedor de time grande com pé na cova da segunda divisão!

Já fui corintiano, eu sei que nessas horas, onde quer que o pobre coitado vá, tem sempre alguém conhecido pelo caminho só esperando a chance de um cumprimento para meter o dedo na ferida do sujeito atormentado pelo fantasma da Segundona:

“E o seu Palmeiras, hein?!”

Do porteiro do seu prédio aos colegas de trabalho, passando pelo português da padaria, o jornaleiro e o taxista do ponto da esquina, todo mundo quer tirar casquinha da angústia do sofredor.

Podiam comentar com o infeliz sobre o calorão danado, a tempestade em Nova York, a situação do José Dirceu, a violência em São Paulo, o Enem, a SP Fashion Week, o Salão do Automóvel, qualquer assunto, enfim, que não agravasse o sofrimento do outro, mas não:

“O Palmeiras pode ser bicampeão da Segunda Divisão em 2013, né?” – cutucou Ronaldo Fenômeno no ‘Bem Amigos’ do Galvão Bueno. No caso do ex-jogador do Corinthians, a satisfação é dupla: o ‘porco’
ocupou o lugar de sua barriga nas conversas de torcedor.

A fila da piada andou!