Sem vencedores

Tutty Vasques

19 de abril de 2014 | 00h04

reproduçãoHá um fenômeno em evidência nas atuais pesquisas de intenção de voto para presidente da República: a Dilma não para de cair e, no entanto, ninguém sobe na preferência do eleitorado. Se as eleições fossem um jogo de futebol, o resultado até o momento teria um derrotado e nenhum vencedor.

Quase tanto quanto o governo, a oposição devia se preocupar com isso! A opinião pública – ô, raça! – está dizendo que o discurso de quem está contra tudo-isso-que-aí-está é tão pouco confiável quanto o blábláblá dos responsáveis por tudo-isso-que-aí-está.

O eleitor divorciado da situação não dá a menor bola à paquera da oposição! Não tem mais um time pra chamar seu, dá-se por insatisfeito torcendo contra seu ex-clube! Está amargurado, desiludido, cansado de mais do mesmo.

Faltando ainda mais de 5 meses para o primeiro turno das eleições presidenciais, as pesquisas indicam a monotonia de uma disputa em que ninguém avança. Capaz de dar 0 a 0 nas enquetes de boca de urna!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: