Subúrbio global

Tutty Vasques

30 Abril 2011 | 06h49

dgsdagaPor mais que tente parecer moderno, avançado, antenado, descolado, cosmopolita, pós-isso, pós-aquilo e o escambau, o mundo é essencialmente suburbano. Eis o grande legado que o casamento do príncipe William com a ex-plebeia Kate deixa para a espécie humana: essa raça gosta mesmo é de conto de fadas, bolo com recheio de doce de leite e álbum de família. Tirar o sábado para lavar o carro também é um prazer!

Mais de 2 bilhões de pessoas madrugaram diante da TV à espera do vestido da noiva, da farda do noivo, da carruagem, do Elton John de fraque e do momento mais esperado, aquele selinho na sacada no melhor estilo Hebe.

Teve dona nascida e criada em Ermelino Matarazzo que não se emocionava tanto desde o seu baile de debutantes. No Rio, pelo menos meia dúzia de tijucanas desmaiaram! Estava tudo tão lindo, né? Não fossem as filhas do príncipe Andrew com Sarah Ferguson fantasiadas de irmãs da Gata Borralheira, o povo não teria do que falar mal.

É preciso dar um desconto! Afinal, ontem foi o dia mais suburbano do século. Mas, se a sua garota te encontrar hoje na porta do cinema usando uma réplica do anel da princesa Catherine, dá um toque nela, vai!