Toda cidade amanheceu em flor

Tutty Vasques

18 de agosto de 2010 | 06h16

Ilustração Pojucan

Ilustração Pojucan

O prefeito Eduardo Paes abriu dia desses a entrevista coletiva que anunciou oficialmente a volta do Rock in Rio à sua cidade de origem cantando a música tema do festival: “Se a vida começasse agora/E o mundo fosse nosso outra vez/E a gente não parasse mais de cantar, de sonhar…/Uou uou uou uou!”

Tudo no Rio, ultimamente, parece um sonho: a final da Copa do Mundo, as Olimpíadas, as UPPs, a revitalização do cais do porto, a parceria com o governo federal, o Fluminense e, agora, a Shakira, o Iron Maiden e o Guns n’Roses.

Nada contra o Rock in Rio! Temo apenas pelo carioca que vai aguentar por 1 ano inteirinho – o festival volta a Jacarepaguá em setembro de 2011 – o Roberto Medina falando de seus sonhos com Lady Gaga.

Nada contra o empresário e sua obsessão em unir os povos num uou uou uou uou definitivo. Mas alguém precisa fazer alguma coisa para conter essa sua onda de mercador de sonhos, que, associada ao estilo comemorativo da administração Eduardo Paes, pode resultar em overdose de espírito carioca na praça.

Daqui a pouco, vai ter gente aplaudindo por do sol em dia de chuva no Arpoador.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: