Todos iguais

Tutty Vasques

02 de junho de 2010 | 00h03

Por uma questão de coerência, Dunga não deve tirar a mão do bolso para cumprimentar o ditador Robert Mugabe antes da partida de hoje, no Zimbábue.

Ou vai parecer coisa pessoal o gesto pouco amistoso que celebrizou seu encontro com Lula na despedida da seleção em Brasília.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.