Traumatismo ucraniano

Tutty Vasques

14 Dezembro 2013 | 00h18

ilustração pojucanÉ possível até que agora mesmo a PM de Kiev esteja massacrando as centenas de manifestantes acampados na Praça Independência, mas não é isso que a gente tem assistido nos telejornais: madrugadas gélidas a fio tentando dispersar a multidão, as tropas de choque ucranianas não usaram bala de borracha, spray de pimenta ou bomba de efeito moral! A rigor, nem sopapo o noticiário mostrou!

Justiça seja feita também aos líderes do movimento oposicionista pró-aproximação da União Europeia, ninguém quebrou vidraça de banco, depredou patrimônio público ou jogou pedra na polícia.

O confronto consiste na disputa de território com as forças adversárias agrupadas em dois blocos humanos compactos, tentando empurrar um ao outro para fora da praça ensaboada pela neve. É uma espécie de sumô coletivo! Se as PMs brasileiras, especialmente a do Rio, adotassem a modalidade, a repressão a protestos de rua poderia virar esporte olímpico nos Jogos de 2016!