Tudo tem limite

Tutty Vasques

03 de dezembro de 2008 | 10h56

O chanceler Celso Amorim vai acabar perdendo a paciência com o Equador, se persistir a idéia de calote ao BNDES.

A última vez que isto aconteceu, o chanceler chamou o boliviano Evo Morales de feio, chato e bobo.

Nem parecia aquele bichinho de pelúcia que a gente está acostumado a ver.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: