Um drible na amnésia

Tutty Vasques

02 Agosto 2011 | 02h49

reproduçãoPrecisou Leo Martins desenhar na sessão ‘Sinais particulares’ de ontem na página 2 do ‘Estado’ para eu me dar conta do fenômeno que fez Ronaldinho Gaúcho voltar a ser Ronaldinho Gaúcho no Flamengo: ele está, de novo, se lembrando de tudo! A arte de driblar, chutar, centrar, segurar a bola, iludir o adversário, jogar pra galera, de repente tudo voltou a funcionar em campo do jeito que todos lembram muito bem.

A amnésia em craques brasileiros é, hoje em dia, mais comum que distensão muscular. Todo torcedor tem na conta de seu time pelo menos um cara bom de bola que esqueceu completamente o que sabe fazer com os pés além de embaixadinhas e outras práticas circenses.

Em alguns casos, o futebol vira uma vaga lembrança, um lance espasmódico que realimenta a expectativa de cura em campo e sucessivas frustrações nas arquibancadas.
Não à toa a torcida do Flamengo tem comemorado como a um título a volta do futebol do bom e velho Ronaldinho Gaúcho. Tem mais que aproveitar! Quem garante que nas próximas rodadas do campeonato ele não vai esquecer tudo de novo? Para quem gosta de futebol, que seja eterno enquanto dure!