Vai todo mundo praquele lugar!

Vai todo mundo praquele lugar!

Tutty Vasques

19 Julho 2009 | 09h32

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

A idéia original é da Hillary Clinton! Foi a secretária de Estado dos EUA que, à certa altura da mediação da crise em Honduras, mandou todo mundo pra casa do Oscar Arias em busca de um acordo para o impasse. Oscar Arias, pra quem não sabe, é presidente da Costa Rica, Prêmio Nobel da Paz e o escambau, mas nada disso vem aqui ao caso. O que vale é o seguinte: ao despachar os dois lados do conflito praquele lugar – “a casa do Oscar Arias” -, a patroa do Bill criou involuntariamente uma corruptela de xingamento tão singela quanto putzgrila. Quem de nós nunca teve vontade de mandar uns e outros pra casa do Oscar Arias e só não o fez por falta de recurso linguístico que tornasse nosso insulto socialmente aceitável.

Vem a calhar com a falta de imaginação de Brasília, onde os homens públicos deram esta semana pra chamar uns aos outros de “pizzaiolo” quando querem ofender a mãe de determinado adversário político. Só não é a desmoralização total do palavrão porque temos agora a possibilidade de fazer chegar ao governo e à oposição, ao apagar das luzes do recesso parlamentar, esse troço que está engasgado há tempos na garganta de todo brasileiro honesto e educado: “Vai todo mundo pra casa do Oscar Arias, vai!” Com todo respeito ao dono do nome que deu origem a esse trocadilho do Oscar Arias.

Texto publicado na coluna Ambulatório da Notícia no caderno Aliás deste domingo no ‘Estadão’.