Acessibilidade começa a ganhar atenção na Câmara Brasileira da Economia Digital

Acessibilidade começa a ganhar atenção na Câmara Brasileira da Economia Digital

Chamada de 'Camara-e.net', entidade reúne empresas de tecnologia, mídias sociais, bancos e outros representantes de negócios eletrônicos. Grupo criou comitê, coordenado por Cid Torquato, para incluir a diversidade nas discussões e aprimorar os recursos acessíveis de sites e aplicativos.

Luiz Alexandre Souza Ventura

12 de julho de 2021 | 12h26

Foto de um notebook aberto sobre um mesa com vários itens de escritório. Na tela do computador, a página da Camara-e.net.

Comitê vai explorar aspectos como acessibilidade em sites e aplicativos, conteúdos e os recursos que estão surgindo como novos aplicativos que facilitam esse processo. Crédito: blog Vencer Limites (descrição da imagem em texto alternativo).


A Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net), formada por representantes do comércio eletrônico, empresas de infraestrutura, mídias sociais, chaves públicas, meios de pagamento, seguros e e-banking, está começando a dar espaço para discussões e ampliação do conhecimento a respeito da acessibilidade digital e comunicacional.

A entidade criou um comitê, coordenado pelo ex-secretário municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Cid Torquato, que vai levar ao grupo informações do setor. A atividade de estreia será uma palestra de Reinaldo Ferraz, especialista em desenvolvimento web do World Wide Web (W3C) Brasil, que faz parte do consórcio internacional para desenvolvimento de padrões na internet.

“Criamos o comitê no ano de comemoração dos 20 anos da entidade e por compreender que as empresas estão investindo mais em acessibilidade, diversidade e sustentabilidade, conceitos que ainda são pouco conhecidos e, justamente por isso, precisamos discutir como a transformação digital cria um mundo virtual que precisa favorecer a todos. Vamos acompanhar esse movimento nas empresas, promover e apoiar as oportunidades”, diz Cid Torquato.

“Vamos motivar as empresas e executivos a participarem das discussões sobre acessibilidade digital, pois queremos atrair o interesse dos associados, promover a sinergia que já existe nas empresas e evoluir junto com os participantes sobre todos os temas que acercam a inclusão”, completa o coordenador.

Entre os diversos temas inseridos dentro do universo de acessibilidade digital e comunicacional, o comitê vai explorar aspectos como acessibilidade em sites e aplicativos, conteúdos e os recursos que estão surgindo como novos aplicativos que facilitam esse processo.

Outro tema de relevância é a norma de acessibilidade digital que está sendo desenvolvida pela ABNT.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.