Acessibilidade real para criar oportunidades iguais

Acessibilidade real para criar oportunidades iguais

Edição 2016 do 'Bett Brasil Educar', maior evento educacional do País, terá oficinas sobre acessibilidade, educação inclusiva e tecnologias digitais assistivas. Congresso é realizado entre os dias 18 a 21 de maio, em São Paulo.

Luiz Alexandre Souza Ventura

31 de março de 2016 | 11h29

———-

“É importante compreender e reconhecer as potencialidades dos alunos da educação especial. Também é preciso desenvolver atitudes inclusivas no cotidiano escolar”, diz Elisa Tomoe Moriya Schlünzen, professora e pesquisadora da Unesp que vai ministrar, juntos com pesquisadores do Grupo de Pesquisa Ambientes Potencializadores para a Inclusão, cinco oficinas sobre acessibilidade, educação inclusiva e tecnologias digitais, durante o ‘Bett Brasil Educar 2016’.

“Devemos reconhecer que todos nós temos nossas dificuldades, nossas limitações, e a tecnologia digital pode ser uma grande aliada dos professores”, afirma a professora. “Muitas soluções são simples como, por exemplo, a adaptação de um material, o uso de um recurso de tecnologia assistiva, bem como o emprego de uma técnica de audiodescrição”, afirma a pesquisadora.

Maior evento educacional do País, o ‘Bett Brasil Educar’ reúne conferencistas, debatedores e palestrantes. O tema deste ano é ‘Melhor Educação, Melhor Sociedade’. A meta é contribuir para a formação profissional dos educadores, inspirá-los e oferecer subsídios às suas atuações e práticas.

Elisa Schlünzen é professora e pesquisadora da Unesp (Reprodução)

Elisa Schlünzen é professora e pesquisadora da Unesp (Reprodução)

Em 2007, a Política Nacional da Educação Especial determinou que estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação devem ficar nas salas comuns das escolas de ensino regular. O resultado foi um aumento de 600% no número de matrículas, o que também exigiu uma quantidade crescente de professores especializados e de escolas acessíveis.

“A boa notícia é que o professor da classe comum, de forma geral, nutre um desejo genuíno de mediar o processo de aprendizagem das crianças com deficiência. No entanto, a educação inclusiva é um desafio, e alguns professores sentem a necessidade de construir conhecimentos sobre como lidar com as diferenças em sala de aula. O interesse dos professores e a necessidade de propor uma formação continuada em educação inclusiva ficaram evidentes após a palestra da professora Elisa Schlünzen no congresso do ano passado”, ressalta a organização do evento.

“A educação inclusiva é responsabilidade de todos: educadores, pesquisadores, gestores, redes de ensino e editoras (que produzem material didático). Por isso, um passo importante é compreender o que é preciso e possível alinhar para que todos tenham acesso de forma igualitária, isso inclui inserir acessibilidade em suas diferentes dimensões”, diz a professora.

AGENDA:
Evento: Bett Brasil Educar
Data: 18 a 21 de maio de 2016
Horário: das 9h às 19h30
Local: São Paulo ExpoRodovia dos Imigrantes, Km 1,5
Site: http://www.bettbrasileducar.com.br
Bett Blog: http://www.bettbrasileducar.com.br/Content/Bett-Blog

-> Clique aqui para fazer sua inscrição.

-> Clique aqui para fazer seu credenciamento de visitante.

———-

Tudo o que sabemos sobre:

Educação Inclusiva

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: