Alunos da rede pública de Santos aprendem Libras

Alunos da rede pública de Santos aprendem Libras

Estudantes do programa 'Escola Total', mantido pela prefeitura, participam de oficinas da Língua Brasileira de Sinais. Meta é ampliar a inclusão a partir de uma melhor comunicação entre crianças surdas e ouvintes.

Luiz Alexandre Souza Ventura

08 de junho de 2017 | 15h11

Nove educadores surdos ministram as aulas para todos os alunos, com ou sem deficiência auditiva. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos

Nove educadores surdos ministram as aulas para todos os alunos, com ou sem deficiência auditiva. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos


Beatriz Vitória Vieira, de 7 anos, cursa o segundo ano do ensino fundamental na Unidade Municipal de Educação (UME) Auxiliadora da Instrução, no bairro do Estuário, em Santos, litoral sul de SP. A menina é surda e está sempre acompanhada por Thaís Lorenzo Vasconcelos Silva, intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais), também surda, enviada pela prefeitura para auxiliar na inclusão da estudante e na integração dela com os colegas.

Atualmente, 27 estudantes surdos são acompanhados por 23 intérpretes de Libras na escolas municipais da cidade. Em algumas unidades, há mais de um aluno com deficiência auditiva em cada sala.

Beatriz, de 7 anos, é acompanhada por Thaís, intérprete de Libras. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos

Beatriz, de 7 anos, é acompanhada por Thaís, intérprete de Libras. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos


Para melhorar a comunicação entre alunos surdos e ouvintes, estudantes do programa ‘Escola Total’, mantido pela Secretaria de Educação (Seduc), estão recebendo desde o começo deste ano aulas da Língua Brasileira de Sinais.

Nove educadores surdos ministram as aulas para todos os alunos, com ou sem deficiência auditiva, fortalecendo a inclusão por meio de experiências de reais de comunicação por sinais. Palavras do cotidiano e frases simples como “Bom dia’, ‘Boa tarde’, ‘Oi’, ‘Obrigada’, ‘Desculpe’, ‘Por favor’, ‘Posso ir ao banheiro’, ‘Posso tomar água?’ e Vamos brincar?’ são ensinadas a todos.

Meta é ampliar a inclusão a partir de uma melhor comunicação entre crianças surdas e ouvintes. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos

Meta é ampliar a inclusão a partir de uma melhor comunicação entre crianças surdas e ouvintes. Foto: Francisco Arrais/Prefeitura de Santos


O projeto abrange quatro unidades municipais de educação. Além da UME Auxiliadora da Instrução, fazem parte o Centro de Atividades Integradas (Cais) Professor Milton Teixeira, na Vila Mathias; a ONG Vidas Recicladas, no Macuco, e a Unidade Municipal de Educação Especial (UMEE) Professora Maria Carmelita Prost Vilaça, na Ponta da Praia.

Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase 'VencerLimitesWhatsApp'

Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase ‘VencerLimitesWhatsApp’