Arte e inclusão na cidade de São Paulo

Arte e inclusão na cidade de São Paulo

'Sem Barreiras - Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência', de 17 a 22 de setembro, tem mais de 100 atrações. Destaque para o show de Yzalú, Rashid e Billy Saga no Auditório Ibirapuera e para a exposição 'Femina Aurea', com fotografias de mulheres com deficiências. Meta do evento é formar uma rede de artistas e incentivar novos talentos, além de estimular a imprensa a usar os símbolos de acessibilidade em guias e roteiros impressos e digitais.

Luiz Alexandre Souza Ventura

10 de setembro de 2019 | 11h54


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Montagem com fotos dos artistas Yzalú, Rashid e Billy Saga. Yzalú é uma mulher negra que usa prótese na perna direita. Ela está em pé, com um vestido branco colado ao corpo. Rashid está sentado em uma escadaria. Veste casaco com capuz na cabeça e uma calça, ambos na cor verde. Billy Saga está sentado na cadeira de rodas, aponta um microfone para a câmera com a mão direita e tem várias tatuagens no braço esquerdo. Crédito: Divulgação / SMPED.


Setembro tem amplo significado para as pessoas com deficiência no Brasil. É o mês em que celebramos o Dia do Teatro Acessível (19), o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21), Dia do Nacional do Surdo (26) e o Dia Mundial da Língua de Sinais, comemorado nesta terça-feira, 10. Também é o mês de aniversário do #blogVencerLimites, que completa 7 anos nesta quarta-feira, 11.

É habitual que o mês de setembro esteja repleto de eventos para marcar as demandas das pessoas com deficiência. O debate ganha mais força para destacar a importância da diversidade e da inclusão na educação, no trabalho, no lazer, no esporte, na cultura, em todos os setores da sociedade. A máxima ‘Nada Sobre Nós Sem Nós’ recebe mais atenção.

Apesar do esforço coletivo, a redoma que mantém o universo da pessoa com deficiência na invisibilidade ainda prevalece. É um cercado que impede a observação mais abrangente e aprofundada da sociedade sobre o que significa ter deficiência e, principalmente, sobre a fragilidade inerente ao ser humano.

Para quebrar essa redoma, a cidade de São Paulo – que tem uma rica programação cultural e uma população, com e sem deficiência, sempre em busca de atrações e manifestações artísticas – promove entre os dias 17 e 22 de setembro o ‘Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência’.


Descrição da imagem #pracegover: Cartaz com o banner e a programação do ‘Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência’. Crédito: Divulgação / SMPED.


O evento é organizado pela Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Cultura (SMC) e da Pessoal com Deficiência (SMPED), com apoio de Casa das Rosas, IMS, Itaú Cultural, Japan House, Masp, Sesc e SESI, que integram a Paulista Cultural, além de outras instituições da cidade, como APAA, Bike Tour SP, Centro Cultural Banco do Brasil, Cia Teatral Olhos de Dentro, Instituto Tomie Ohtake, MIS, Museu do Futebol, Sala São Paulo, Santa Marcelina Cultura, SP Escola de Teatro, Tom Brasil e o website Aplauso Brasil, primeiro do País voltado ao teatro.

“A meta é divulgar o importante trabalho de artistas com deficiência, trazendo reconhecimento e visibilidade para cada um. Por meio da cultura, a deficiência pode ser vista e entendida de uma outra forma, valorizando o potencial de cada pessoa. O trabalho desses artistas vai mudar a visão sobre o tema para muitas pessoas, além de incentivar e despertar o artista adormecido em tantas outras, que por conta de alguma deficiência, se sentem anuladas e desanimadas”, explica o secretário da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato.

O festival nasceu da experiência com o Programa Cultura Inclusiva e vai fazer parte do calendário da cidade para formar uma rede de artistas, atrair novos talentos e apresentar esses trabalhos.

Outra proposta é estimular a imprensa a usar os símbolos de acessibilidade comunicacional – Libras, audiodescrição e legendas – na divulgação de toda a programação cultural da cidade.

“Os guias das agendas culturais da cidade não divulgam a acessibilidade em suas programações. A inserção dos símbolos na divulgação dos eventos acessíveis facilita a vida das pessoas com deficiência que buscam por essas informações”, diz Cid Torquato. “Queremos chamar a atenção da imprensa, falando sobre a falta que faz o uso dos símbolos comunicacionais. Sabemos que boa parte das instituições culturais da cidade já trazem programações acessíveis e isso tem que estar claro nos guias e roteiros culturais”, reforça o secretário.

PROGRAMAÇÃO – São mais de 100 atrações (clique aqui para acessar a programação completa), com circo, contação de história, dança, debates, exposições, intervenções, música, oficinas, palestras, passeios, performances, poesia, teatro e visitas monitoradas.

“A experiência que tivemos na última edição da Virada Cultural deixou clara a importância da acessibilidade nos eventos, além de sua divulgação. Foram 23 palcos, 71 espetáculos acessíveis com tradução em Libras e grande participação de pessoas com deficiência”, diz o secretário de Cultura, Alê Youssef.


Descrição da imagem #pracegover: Foto em preto e branco. Mulher com prótese na perna direita está agachada sobre uma mureta, com os pés unidos, a mão direita apoiada à frente e a mão esquerda sobre a coxa esquerda. A cabeça está levemente virada para a direita. A mulher veste uma lingerie. Ao fundo, uma vegetação. Crédito: Homero Carrasco / Exposição ‘Femina Aurea’.


MULHERES COM DEFICIÊNCIA – A exposição fotográfica ‘Femina Aurea’, que abre a semana do festival, coordenada por Ana Vitória Maia Fonseca, tem imagens em preto e branco de mulheres com deficiências.

A mostra retrata a beleza dos corpos estereotipados e apagados da estética social por suas limitações e imperfeições. fomentar profundos questionamentos e discussões sobre o padrão estético corporal considerado normal, agradável, belo e aceitável na sociedade contemporânea.

MÚSICA – No dia 20, a partir das 21h, o Auditório do Ibirapuera recebe um show de Yzalú, Rashid e Billy Saga, tudo com recursos de acessibilidade.



Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Tendências: