Ator alemão lidera ação para resgatar pessoas com deficiência na Ucrânia

Ator alemão lidera ação para resgatar pessoas com deficiência na Ucrânia

Instituição criada por Samuel Koch tenta identificar e retirar ucranianos presos em áreas atacadas pela Rússia. Grupo também arrecada mantimentos para refugiados.

Luiz Alexandre Souza Ventura

28 de fevereiro de 2022 | 11h33

Foto de Samuel Koch, ator alemão de 34 anos, branco, de cabelos claros e curtos. Ele é tetraplégico, está sentado em uma cadeira de rodas motorizada, sobre um palco, de costas para a plateia vazia. As luzes do teatro estão acesas.

“Nem sempre foi fácil, mas é possível”, diz Samuel Koch. Foto: Reprodução.


O ator e escritor alemão Samuel Koch lidera uma ação para resgatar pessoas com deficiência que não conseguem sair das áreas de guerra e regiões da Ucrânia atacadas pela Rússia.

“Uma pequena delegação, que inclui uma enfermeira, minha mãe, meu cunhado e um mecânico ortopédico, vai buscar, com transportes acessíveis, pessoas que não conseguem escapar da zona de guerra (crianças com deficiência, pessoas em cadeiras de rodas). Por favor, rezem por essa pequena missão”, publicou o artista neste domingo, 27, nas redes sociais da instituição Samuel Koch und Freunde e.V.

Kock também divulgou que sua instituição está arrecadando mantimentos para os refugiados.


LEIA TAMBÉM:

Pessoas com deficiência estão presas em Kiev

Guerra na Ucrânia já provoca abandono de pessoas com deficiência intelectual

“Situação das pessoas com deficiência na Ucrânia é terrível”, diz Fórum Europeu da Deficiência

ONU prevê deslocamento de 225 mil pessoas com deficiência na Ucrânia


Samuel Koch, de 34 anos, é tetraplégico. Ator, escritor e palestrante, faz parte do Nationaltheater Mannheim e está no elenco do programa de TV Wetten, dass..?.

Em 4 de dezembro de 2010, na cidade de Düsseldorf, tentou pular um carro em movimento e sofreu um acidente, fraturando a coluna, o paralisou seu corpo do pescoço para baixo.

“Nem sempre foi fácil, mas é possível. Não existe um manual de instruções universal para lidar com momentos difíceis e, como aprendi que o conselho também pode ser um golpe, não me vejo como um conselheiro. Se alguém quiser saber algo sobre o meu caminho, fico muito feliz em compartilhar”, diz Kock em seu website oficial.


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.