Coronavírus: para cuidar das pessoas idosas com deficiência

Coronavírus: para cuidar das pessoas idosas com deficiência

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Associação reforça as medidas de proteção da população que está acima dos 60 anos e tem deficiências auditivas, intelectuais, físicas e visuais, inclusive a surdocegueira. Também orienta sobre procedimentos para cuidadores e enfermeiros. São recomendações de geriatras, psicólogos, fonoaudiologistas e terapeutas ocupacionais, indicadas a profissionais que atuam em asilos, lares de acolhida e instituições especializadas, assim como para quem cuida de familiares em casa.

Luiz Alexandre Souza Ventura

01 de abril de 2020 | 13h32


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Grupo de idosos com e sem deficiência está reunido em uma área aberta. Crédito: Reprodução.


Os cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus e a proteção das pessoas idosas com deficiência são fundamentais neste momento de pandemia. Seguir as recomendações das autoridades de saúde é prudente e responsável para impedir a propagação da covid-19.

No caso dos grupos de risco, aqueles nos quais os integrantes que forem infectados podem ter um agravamento muito mais rápido do quadro geral de saúde, o esforço tem de ser muito maior. Médicos infectologistas, neurologistas e geneticistas têm falado constantemente sobre esse cenário, nas últimas duas semanas, o #blogVencerLimites já publicou várias reportagens com esse tema.

Ainda assim, para reforçar as recomendações, a Apabex (Associação de Pais Banespinianos de Excepcionais) reuniu geriatras, psicólogos, fonoaudiologistas e terapeutas ocupacionais para esclarecer pontos importantes sobre os cuidados às pessoas idosas com deficiência.


Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real


Deficiência intelectual – Podem exigir supervisão, além de ter dificuldade em entender e seguir as recomendações. Por isso, o cuidador precisa se manter ainda mais presente nesses casos.

Deficiência visual – Aumentar a frequência da higienização das mãos após qualquer toque por causa do maior uso do tato. É preferível que, ao serem guiados por alguém, ao invés da mão, essas pessoas segurem no ombro do guia.

Deficiência auditiva – É fundamental evitar toque no rosto durante a comunicação em Libras, a Língua Brasileira de Sinais, além da higienização constantemente das mãos.

Surdocegueira – Como se comunicam usando contato físico, devem higienizar as mãos e os antebraços o tempo todo.

Cuidadores e enfermeiros – Higienizar-se antes de qualquer contato ao chegar da rua. Isso vale também para familiares e amigos. Usar máscara se houve contato com casos suspeitos. Se o cuidado tiver sintomas de gripe, precisa evitar o contato.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: