Criatividade para impulsionar práticas inclusivas

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Criatividade para impulsionar práticas inclusivas

Livro digital gratuito tem 16 textos de 43 autores sobre projetos em várias regiões do Brasil. Destaque para a história de alunos de uma escola pública de Belém (Pará) que criaram as ferramentas de acessibilidade para apresentar elementos da física a um colega cego.

Luiz Alexandre Souza Ventura

11 de setembro de 2019 | 13h50


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Foto de um prisma em formato de pirâmide montado com duas placas translúcidas e sete linhas. Antes de passar pela primeira lâmina de acrílico, as linhas foram unidas e encapadas, formando um fio branco para demonstrar como a união das cores retrata a luz branca. Quando passa pelo prisma, o fio se abre nas sete linhas, que têm cores, comprimento e textura diferentes para exemplificar onda e frequência, resultando em uma simulação do fenômeno da dispersão, com as cores separadas do outro lado da estrutura. Crédito: Reprodução / Diversa.org.br.


A chegada de um estudante cego à Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Professor Nagib Coelho Matni, em Belém (Pará), modificou o cotidiano de todos os alunos. Na aula de física, o jovem precisava aprender conceitos de óptica, saber sobre luz, cores e a formação de imagens.

Com essa necessidade nas mãos, mas sem recursos de acessibilidade disponíveis para a função, o professor Bruno Ricardo Pinto dos Santos decidiu transformar a barreira em um projeto inclusivo e apresentou aos alunos o desafio. O resultado foi a criação de uma solução que levou ao colega cego o conhecimento por meio do tato.

Os detalhes dessa história, que começou em 2015, estão no livro digital gratuito ‘Criatividade – mudar a educação, transformar o mundo’. O capítulo é escrito pelo professor e pesquisador em educação inclusiva Rodrigo Mendes.


Descrição da imagem #pracegover: Foto da entrada da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Professor Nagib Coelho Matni, em Belém (Pará). Crédito: Google Maps / Dezembro-2018.


“É a importância da criatividade como competência desenvolvida no ambiente escolar, e o potencial criativo dos jovens, com e sem deficiência, para resolver problemas e, principalmente, para o compromisso social”, diz Rodrigo Mendes.

“Vivemos um momento em que essa criatividade deixou de ser um tema estratégico apenas para quem atua em áreas como ciência e tecnologia. É substancial para muitos outros universos, como o da escola”, ressalta o autor. “E para que ela tenha condições de aflorar, precisamos inserir no cotidiano das instituições de ensino, de forma intencional, desafios que engajem o aluno, o educador e o gestor”, afirma o professor.

“Isso corresponde a garantir espaço para o risco, para o erro e para a inovação. A escola que sonhamos para todos só vingará se assumir a criatividade como um potente catalisador para o cumprimento de sua nobre missão”, comenta o pesquisador.



A criatividade está entre as dez competências gerais estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular na superação de desafios na educação e na sociedade.

INCLUSÃO MULTIPLICADA – A obra apresenta experiências de educação inclusiva em escolas de várias regiões do Brasil. São 43 autores e autoras, entre estudantes, professores, gestores de escola, pesquisadores, profissionais do setor social e docentes universitários, que assinam 16 textos.

O ebook foi organizado pelo programa Escolas Transformadoras com a organização social global Ashoka e pelo Instituto Alana.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: