Desatando os nós do TDA

Desatando os nós do TDA

Livro de Margarete Chinaglia aborda as principais características do Transtorno do Déficit de Atenção, com exemplos reais, apresenta curiosidades e ensina a lidar com diferentes situações, de acordo com a idade da pessoa que tem a condição.

Luiz Alexandre Souza Ventura

16 de abril de 2021 | 10h55

Foto da escritora Margarete Chinaglia, mulher branca, de cabelos loiros, lisos e compridos, sorrindo e olhando para a câmera. Ela está sentada com as pernas cruzadas. Ao lado, em uma mesinha, dois exemplares do livro 'Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção - TDA', que tem capa azul. Crédito: Divulgação.

Descrição da imagem #pracegover: Foto da escritora Margarete Chinaglia, mulher branca, de cabelos loiros, lisos e compridos, sorrindo e olhando para a câmera. Ela está sentada com as pernas cruzadas. Ao lado, em uma mesinha, dois exemplares do livro ‘Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção – TDA’, que tem capa azul. Crédito: Divulgação.


Situações reais do cotidiano de quem convive com o Transtorno do Déficit de Atenção (TDA), curiosidades a respeito dessa condição e ensinamentos importantes sobre como lidar com momentos críticos ou específicos, em diferentes faixas etárias, estão no livro ‘Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção – TDA’, de Margarete Chinaglia, lançamento da editora Saramago.

O prefácio foi escrito pela filha da autora, que tem TDA. “É a visão dela, para dar um significado no modo de viver e de sentir o transtorno em todas as manifestações e, principalmente, nas escolhas durante a vida”, diz a escritora.

Margarete Chinaglia precisou aprender a lidar com o transtorno para reconhecer os sintomas e as consequências. A obra é voltada para quem tem TDA e seus familiares, para psicólogos, neuropsicólogos, pedagogos, psicopedagogos e professores, e também para quem sabe nada sobre o assunto.

“O livro traz um suporte sobre como agir e trabalhar para que o TDA seja algo favorável, mostra a realidade do transtorno e apresenta possíveis caminhos para se encontrar soluções”, explica Margarete. “Falo sobre a importância de transformar o TDA em aliado, para que os nós, as dificuldades, virem laços frouxos que garantam qualidade de vida”, afirma.
   
A publicação tem um histórico sobre TDA – quando surgiu e quando chegou no Brasil -, explica como e quais regiões do cérebro são atingidas, detalha quais patologias podem ser associadas ao TDA e também ao Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), orienta a respeito das melhores formas de reagir ao comportamento de crianças, adolescentes e adultos com TDA ou TDAH, detalha os tratamentos disponíveis no Brasil, e ainda desvenda mitos e verdades.
   
É o segundo livro que Margarete Chinaglia sobre o tema. Ela também escreveu ‘Transtorno do Déficit de Atenção – TDA: sob o ponto de vista de uma mãe’, no qual compartilha detalhes da vivência pessoal com sua filha e mostra os desafios, da infância à idade adulta. A autora mantém conversas sobre o assunto no Instagram e no Facebook.

Ficha Técnica:
Livro: ‘Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção – TDA’
Autora: Margarete Chinaglia
Editora: Saramago (RJ)
Tamanho: 16cm x 23cm
Páginas: 122 (brochura)
Preço sugerido: R$ 34,90
Para comprar: Editora Albatroz, Americanas, Submarino e Shoptime
Gênero: Medicina, Saúde
ISBN:978-65-5751-017-9

Foto da capa do livro 'Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção - TDA', que tem fundo azul, o nome da autora e o título da obra em letras pretas e brancas, o símbolo da editora Saramago e uma ilustração colorida com diversas mãos desatando nós. Crédito: Divulgação.

Descrição da imagem #pracegover: Foto da capa do livro ‘Desatando os Nós do Transtorno do Déficit de Atenção – TDA’, que tem fundo azul, o nome da autora e o título da obra em letras pretas e brancas, o símbolo da editora Saramago e uma ilustração colorida com diversas mãos desatando nós. Crédito: Divulgação.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.