Diário de dois autistas

Diário de dois autistas

Claudia Fedrizzi, mãe de Alice e Guilherme, narra em um livro de 400 páginas os desafios que enfrenta para criar um filho e uma filha autistas. "Perdi amizades, sou julgada o tempo todo e chamada de superprotetora, ouço piadinhas inconvenientes, tenho dificuldades para dormir, não sou compreendida e sinto medo", diz a autora.

Luiz Alexandre Souza Ventura

12 de setembro de 2021 | 13h17

Foto de Claudia Fedrizzi com Guilherme à esquerda e Aline à direita. Os três são brancos e têm cabelos castanhos e lisos. Estão sorrindo e olhando para a câmera.

Claudia Fedrizzi é mãe de Guilherme e Aline, duas crianças autistas. Crédito: Divulgação.


“Quem quiser compreender o autismo, conto um pouco sobre a vida dessas duas crianças, meus filhos, Guilherme e Alice, neuroatípicas, e nosso cotidiano, nossas desventuras em série neste mundo nada acolhedor em que vivemos, enfrentando muitos desafios para ter uma vida digna”, diz Claudia Fedrizzi, autora de Diário de dois autistas – A arte de amar, lançamento do Clube dos Autores, com versões impressa e digital.

“Falo de toda a exclusão social que enfrentamos no nosso dia a dia, desde que o Gui nasceu. Falo dos anjos que encontramos no caminho, também das pessoas perversas com quem tivemos que lidar. Sempre tentando manter o foco no positivo, com muita motivação, para quem também tem que enfrentar a solidão do autismo”, comenta a escritora, que trabalha como contadora.

De acordo com a sinopse, o livro busca mostrar a rotina de dois autistas, com foco na representatividade do autismo e suas peculiaridades, as dificuldades de uma mãe diante de uma sociedade que limita o espaço do autista e que cria muitas barreiras.

O Clube dos Autores é um projeto para publicação de livros pelos próprios escritores.



Tudo o que sabemos sobre:

Pessoas com DeficiênciaAutistasLivro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.