Disque 100 abre canal para vítimas de enchentes

Disque 100 abre canal para vítimas de enchentes

Serviço gratuito funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Programa é coordenado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que também comanda a Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Luiz Alexandre Souza Ventura

26 de janeiro de 2020 | 15h12


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Homem em cadeira de rodas está parado no meio de uma rua alagada. Crédito: Reprodução.


O Disque 100, serviço gratuito coordenado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), abriu um canal para atendimento a vítimas de enchentes.

A pasta, que também comanda a Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD), liberou o número para pedidos de ajuda, busca por socorro e registro de pessoas desaparecidas.

O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular).

Basta discar 100.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.