Duas mulheres lideram ação de instituições para ajudar rede de saúde de Manaus

Duas mulheres lideram ação de instituições para ajudar rede de saúde de Manaus

Grupo organiza doações ao Amazonas para garantir eficiência e segurança na distribuição. Força-tarefa fez levantamento das unidades e identificou a real necessidade de cada local.

Luiz Alexandre Souza Ventura

19 de janeiro de 2021 | 14h49

Use 26 recursos de acessibilidade digital com a solução da EqualWeb clicando no ícone redondo e flutuante à direita, ouça o texto completo com Audima no player acima, acione a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Paciente com covid-19 chega a hospital em Manaus. Crédito: Bruno Kelly / Reuters - 14/01/2021.

Descrição da imagem #pracegover: Paciente com covid-19 chega a hospital em Manaus. Crédito: Bruno Kelly / Reuters – 14/01/2021.


A manauara Sibila Osis, enfermeira intensivista, e a paraense Mayra Castro, especialista em conexões e parcerias, lideram uma iniciativa, com apoio de 13 instituições, para conectar doadores de insumos e equipamentos de saúde a unidades de saúde no Amazonas. A ação é chamada de Adote Uma Unidade de Saúde em Manaus (AM).

O contato com o grupo é feito pelo email adoteumaunidade@gmail.com.

“Não bastam apenas as doações que são mais do que necessárias, mas também temos que ter uma inteligência em como distribuí-las. Então criamos essa tecnologia social com a participação de profissionais de saúde e de gestão do próprio Amazonas que estão no olho do furacão desta crise. Foi a forma mais ágil que encontramos de otimizar recursos”, diz Sibila, que trabalha na linha de frente do combate à covid-19 em Manaus.   

Durante três dias, a força-tarefa fez um levantamento com Unidades Básicas de Saúde e hospitais para saber qual a real necessidade de equipamentos e insumos em cada local. A lista tem informações da Prefeitura de Manaus e do Estado do Amazonas, com as demandas das unidades de saúde e a identificação das situações mais urgentes
 
Participam da ação ABEN-AM (Associação Brasileira de Enfermagem – Amazonas), ABENTI (Associação Brasileira de Enfermagem em Terapia Intensiva), AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira), CODESE (Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus), COOPATI (Instituto de Terapia Intensiva do Estado do Amazonas), COREN-AM (Conselho Regional de Enfermagem – Amazonas), Grupo Mulheres do Brasil, IETI (Instituto de Enfermeiros em Terapia Intensiva do Amazonas), LAETI – Liga Amazonense de Enfermagem em Terapia Intensiva, OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – Amazonas, Pólo Digital de Manaus, RAMI (Rede Amazônia de Inovação e Empreendedorismo) e SATI (Sociedade Amazonense de Terapia Intensiva).

Uma carta aberta esclarece a ação.
 
“Como já é ciente de todos, estamos vivendo uma crise humanitária em Manaus. A questão da falta de oxigênio que mobilizou o país inteiro é só a ponta do iceberg. Temos uma falta de infra-estrutura de logística e distribuição de insumos e demandas, e nossos profissionais estão adoecendo, física e emocionalmente, para gerenciar todo esse caos..
 
Do dia 15 ao 17 de janeiro de 2021, conseguimos juntar listas de demandas por unidade de saúde da rede pública estadual na cidade de Manaus e mais a lista de demandas da prefeitura municipal que atende as Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Nosso intuito é de facilitar a gestão e comunicação direta com as unidades de saúde e sabermos a real situação sobre como auxiliar individualmente.

Essa planilha foi desenvolvida com os esforços de diversas pessoas, localizadas em cidades diferentes do país, levando em conta, principalmente, as vozes e experiências locais de quem está na linha de frente em Manaus.
 
Para aqueles que estão se mobilizando para enviar insumos e equipamentos, podemos disponibilizar acesso às demandas mais críticas e trabalharmos por unidade, intermediando contato direto com gestores de cada instituição. Isso facilitará o relacionamento e gestão local e individual dessas unidades.

Cabe ressaltar que a crise em Manaus não se trata somente de insumos e equipamentos. Precisamos igualmente de apoio operacional para podermos viabilizar a gestão dessa crise”.


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.



Tudo o que sabemos sobre:

PandemiaCovid-19CoronavírusManausAmazonas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.