Empresa ensina Libras para ampliar inclusão no ambiente de trabalho

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Empresa ensina Libras para ampliar inclusão no ambiente de trabalho

Projeto da Mars Pet Nutrition Brasil valoriza diversidade e engajamento. Língua Brasileira de Sinais melhorou a comunicação com empregados e ampliou as relações. Companhia tem 17 profissionais com deficiência auditiva.

Luiz Alexandre Souza Ventura

06 de junho de 2017 | 11h19

Participaram das aulas de Libras líderes diretos e indiretos, RH, assistente social e todas as áreas com as quais os funcionários que têm deficiência auditiva manteriam contato. Imagem: Divulgação

Participaram das aulas de Libras líderes diretos e indiretos, RH, assistente social e todas as áreas com as quais os funcionários que têm deficiência auditiva manteriam contato. Imagem: Divulgação


Manter uma comunicação interna eficaz para obter maior entendimento entre os funcionários e ampliar a produtividade individual é a meta de toda empresa. Para chegar a esse resultado, a companhia precisa usar ferramentas específicas e investir em capacitação constante.

Leia Também

Facebook

Um detalhe fundamental é conhecer os empregados e saber conversar com cada um deles. No caso de corporações que acreditam na inclusão e na diversidade, e mantêm pessoas com deficiência no quadro funcional, incorporar recursos de acessibilidade faz toda a diferença.

Um exemplo dessa dinâmica é o projeto da Mars Pet Nutrition Brasil, empresa que tem 17 funcionários com deficiência auditiva e apostou em um curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para melhorar a comunicação com esses funcionários e ampliar as relações dentro do ambiente de trabalho.

“O programa foi criado para incentivar a diversidade dentro de nosso ambiente de trabalho, a inclusão e o engajamento dos profissionais internos e externos, com uma proposta voltada a pessoas com deficiência, aos protagonismo feminino, alinhado ao nosso compromisso de fortalecer o relacionamento com as comunidades onde estamos inseridos”, explica Tatiana Godoi, diretora recursos humanos da Mars.

Daniele Zanin tem deficiência auditiva e trabalha na Mars desde julho de 2016. Imagem: Divulgação

Daniele Zanin tem deficiência auditiva e trabalha na Mars desde julho de 2016. Imagem: Divulgação


Participaram das aulas de Libras líderes diretos e indiretos, RH, assistente social e todas as áreas com as quais os funcionários que têm deficiência auditiva manteriam contato.

“A comunicação melhorou muito, tanto para os associados – como são chamados os funcionários – quanto para os líderes. Todos desenvolveram novas formas de se relacionar. Naqueles diretamente com os profissionais com deficiência auditiva, observou-se uma fluidez bastante interessante na comunicação desde o primeiro momento”, ressalta a diretora.

Para a auxiliar de produção Daniele Cristina Zanin, que tem deficiência auditiva e trabalha na Mars desde julho do ano passado, o aumento do número de pessoas que se comunicam em Libras mudou a sua rotina na empresa.

“Além de poder me aproximar de um número maior de pessoas, também pude me desenvolver em Libras por aumentar a minha prática”, diz a funcionária. Ela afirma que a comunicação em Libras e na língua portuguesa têm a mesma importância, especialmente quando faz a leitura labial.

“A comunicação melhorou muito, tanto para os funcionários quanto para os líderes”, diz Tatiana Godoi, diretora recursos humanos da Mars. Imagem: Divulgação


Sobre a inclusão no mercado de trabalho, Daniel ressalta que nunca encontrou dificuldade em arrumar emprego e foi bem recebida e adaptada na Mars. “Sei que não são muitas empresas que estão dispostas a contratar pessoas com deficiência”, comenta.

A diretora de RH da Mars ressalta que existem dificuldades para todas as contratações, independente do candidato ter ou não uma deficiência. “No caso da deficiência auditiva, a maior dificuldade foi mapear estes profissionais e criar a abordagem mais adequada para realizarmos um processo adequado para este tipo de público”, conta Tatiana Godoi. “Além disso, tomamos o cuidado de alocar estes profissionais onde a deficiência não criasse nenhum impeditivo para o desempenho ideal da função ou onde o ambiente não apresentasse risco, como áreas com sinalizações sonoras”.

A empresa investe na capacitação de pessoas com deficiência em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). E tem um profissional do RH totalmente dedicado ao ‘Programa Todos Nós’. Esse funcionário gerencia a consultoria externa e auxilia no processo. Há também suporte de uma assistente social e, em determinados casos, cuidadores são contratados.


Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase 'VencerLimitesWhatsApp'

Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase ‘VencerLimitesWhatsApp’.


#blogvencerlimites ????????

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: