Accenture promove debate interno sobre inclusão e diversidade

Accenture promove debate interno sobre inclusão e diversidade

Empresa reuniu funcionários para uma troca de experiências e também para falar sobre práticas na contratação e gestão de profissionais com deficiência física, sensorial e intelectual. O #blogVencerLimites participou como convidado.

Luiz Alexandre Souza Ventura

09 Dezembro 2016 | 15h19

Encontro foi comandado por Beatriz Sairafi Heinemann, diretora executiva de RH da Accenture Brasil, que mediou um bate-papo com a participação do #blogVencerLimites, além de Renata Andrade, diretora executiva da Diversitas e voluntária em programas de socialização de cães de assistência em treinamento; André Fiorilli, diretor executivo da Accenture, e Sergio Faria, consultor da Accenture. Imagem: Divulgação

Encontro foi comandado por Beatriz Sairafi Heinemann, diretora executiva de RH da Accenture Brasil, que mediou um bate-papo com a participação do #blogVencerLimites, além de Renata Andrade, diretora executiva da Diversitas e voluntária em programas de socialização de cães de assistência em treinamento; André Fiorilli, diretor executivo da Accenture, e Sergio Faria, consultor da Accenture. Imagem: Divulgação

A Accenture Brasil reuniu aproximadamente 100 funcionários na última segunda-feira, 5, para debater suas políticas de inclusão, diversidade, contratação e gestão de pessoas com deficiência física, sensorial e intelectual.

O encontro anual, criado para celebrar o Dia Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (3 de dezembro), é organizado pelo setor de Recursos Humanos.

Estiveram presentes gestores de várias áreas, funcionários contratados por meio da Lei de Cotas e convidados. A reunião foi comandada por Beatriz Sairafi Heinemann, diretora executiva de RH da Accenture Brasil, que mediou um bate-papo com a participação do #blogVencerLimites, além de Renata Andrade, diretora executiva da Diversitas e voluntária em programas de socialização de cães de assistência em treinamento; André Fiorilli, diretor executivo da Accenture, e Sergio Faria, consultor da Accenture.

Entre os pontos abordados, um dos mais importantes diz respeito à forma como a empresa trata os funcionários com deficiência, contratados por suas capacidades e habilidades, e não apenas para cumprir a cota exigida por lei.

Encontro anual, criado para celebrar o Dia Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (3 de dezembro), é organizado pelo setor de Recursos Humanos. Imagem: Divulgação

Encontro anual, criado para celebrar o Dia Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (3 de dezembro), é organizado pelo setor de Recursos Humanos. Imagem: Divulgação

A companhia adota uma prática correta e mantém a gestão de todos os funcionários no mesmo patamar, tanto na oferta de recursos e treinamento, como na cobrança por resultados. Não há privilégios ou distinções.

O que existe, comprovadamente, é uma avaliação individual de competências, aptidões e vocações, que direcionam o profissional para uma função na qual ele poderá responder positivamente.

Os gestores presentes destacaram os detalhes que precisam ser considerados na comunicação com funcionários que têm deficiência auditiva ou visual, como a presença constante de intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais), descrição de imagens e alertas sobre arquivos anexos durante as trocas de e-mails e mensagens, além de uma maior compreensão sobre como funcionam todos os recursos de acessibilidade. Também foram apresentados depoimentos de funcionários.

A Accenture Brasil foi uma das 15 empresas nacionais que receberam, no último dia 2 de dezembro, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA), o prêmio ‘Reconhecimento Global – Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência’, promovido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

E a companhia também faz parte da Rede Empresarial de Inclusão Social, que assinou no último dia 20 de outubro a carta de adesão ao Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência.

O documento, que tem a chancela da OIT (Organização Internacional do Trabalho), estabelece metas e diretrizes para promover uma cultura interna e um ambiente inclusivo e acessível nas empresas, cria um diagnóstico e o monitoramento do progresso das organizações para a inclusão, além de avaliar constantemente o interesse genuíno das empresas envolvidas em cumprir os compromissos assumidos.

Antonio Salvador (Grupo Pão de Açucar – GPA), Christiane Berlinck (IBM), Beatriz Sairafi Heinemann (Accenture), Maria Elisa Gualandi Verri (TozziniFreire Advogados), José Luiz Rossi (Serasa Experian), Fábio Maceira (JLL), Alexandre Espinosa (Natura), Roberto Martorelli (EY) e Osvaldo Kalaf (Dow) assinaram  a carta de adesão ao Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência. Foto: Divulgação

Antonio Salvador (Grupo Pão de Açucar – GPA), Christiane Berlinck (IBM), Beatriz Sairafi Heinemann (Accenture), Maria Elisa Gualandi Verri (TozziniFreire Advogados), José Luiz Rossi (Serasa Experian), Fábio Maceira (JLL), Alexandre Espinosa (Natura), Roberto Martorelli (EY) e Osvaldo Kalaf (Dow) assinaram a carta de adesão ao Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência. Foto: Divulgação


Acompanhe o blog Vencer Limites nas redes sociais

Mais conteúdo sobre:

TrabalhoAccenture