Escola de Gente amplia aplicativo Vem CA e cria cadastro de profissionais de acessibilidade

Escola de Gente amplia aplicativo Vem CA e cria cadastro de profissionais de acessibilidade

ONG ganhou prêmios da ONU em dois projetos e quer fazer parcerias com universidades para promover pesquisas, além de ensinar estudantes e profissionais de tecnologia a construir soluções de acessibilidade.

Luiz Alexandre Souza Ventura

15 de julho de 2021 | 12h33

Fotos dos integrantes da Escola de Gente em um auditório da Organização das Nações Unidas (ONU) apresentando o aplicativo Vem CA.

“Acreditamos na acessibilidade com a perspectiva econômica, que gera renda”, diz Claudia Werneck, fundadora e superintendente da Escola de Gente. Crédito: Divulgação.


O aplicativo ‘Vem CA’ (Android e iOS), lançado no ano passado pela ONG Escola da Gente para divulgar a programação cultural acessível, foi ampliado. A principal novidade é que o app passa e ter um cadastro de profissionais de acessibilidade. “É uma valorização do trabalho desses especialistas”, afirma Claudia Werneck, fundadora e superintendente da Escola de Gente.

Outra importante mudança é a abertura para eventos de diversos tipos, presenciais ou virtuais, como podcasts, congressos, cursos, seminários, palestras e até streaming. “Vai ser a Escola de Gente online”, diz Claudia.

A ONG também quer construir parcerias com universidades para promover pesquisas. “A meta é abranger tudo o que pode ser acessível e ensinar estudantes de tecnologia a desenvolver soluções de acessibilidade. Esse conhecimento ainda é raro entre os profissionais da área”, comenta a superintendente.


Tela de apresentação do aplicativo Vem CA.

Aplicativo Vem CA foi ampliado. Para baixar, acesse vemca.org.br. Crédito: Reprodução.


Reconhecimento – Dois projetos da Escola de Gente foram premiados recentemente pela ONU (Organização das Nações Unidas) entre as 400 melhores práticas em todo o mundo na recuperação pós-covid. Um deles é o aplicativo Vem CA. E o outro é a solução ‘Hiperconexão Inclusiva’, que permite audiodescrição, legendas e Libras, tudo junto, em transmissões online, as famosas lives, que dominam a internet desde o começo da pandemia.

“A exclusão das pessoas com deficiência nesse período tão difícil foi muito ampliada, não apenas pela falta de recursos acessíveis no aplicativos, sites e plataformas, mas também pela própria dificuldade de acesso à internet”, comenta a fundadora da Escola de Gente.

“Acreditamos na acessibilidade com a perspectiva econômica, que gera renda. A exclusão é cara e as plataformas não se mobilizam para mudar esse cenário. Desde 2009, defendemos o lema da acessibilidade para a sustentabilidade”, completa Claudia Werneck.


Em um smartphone, a transmissão de uma live acessível pela ONG Escola de Gente, com a tela dividida em cinco janelas com as imagens dos participantes, entre eles um intérprete de Libras e, abaixo, a legenda em tempo real.

Ferramenta permite inclusão simultânea de audiodescrição, legendas e Libras em transmissões online. Crédito: blog Vencer Limites.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.