Escritor discute conceitos de inclusão social e educação inclusiva em autobiografia

Escritor discute conceitos de inclusão social e educação inclusiva em autobiografia

Emílio Figueira, que tem paralisia cerebral, é jornalista, psicólogo e psicanalista, autor de mais de 70 publicações, entre livros, peças de teatro e roteiros. Em 'O Caso do Tipógrafo', ele conta como enfrentou a exclusão durante a ditadura militar, narra suas experiências pessoais e construções artísticas, além da vivência acadêmica em pós-graduações e doutorados.

Luiz Alexandre Souza Ventura

17 de junho de 2020 | 11h03


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Na tela de um smartphone, a capa do livro ‘O Caso do Tipógrafo’, que tem fundo amarelo dourado em degradê, com parte do rosto do autor, Emílio Figueira, desenhado em traços pretos do lado direito e linhas no lado esquerdo. Crédito: blog Vencer Limites.


“Lembro de seminários com enormes plateias. Crianças, eramos colocados só de cueca no palco, o especialista nos mostrando e analisando o caso. Fiz parte de muitos experimentos e pesquisas no início dos anos 1970”, conta Emílio Figueira, de 50 anos, jornalista, psicólogo e psicanalista que tem paralisia cerebral com sequelas severas na fala e nos movimentos.

Essa e outras memórias do autor são narradas em ‘O Caso do Tipógrafo’, autobiografia que o escritor relança neste mês em formato digital.

Figueira debate no livro conceitos de inclusão social, educação Inclusiva e destaca como é o envelhecimento de pessoas com deficiência “em um país que quase nada oferece a essa população na terceira idade”, diz.

“Por quase cinco anos usei aparelhos em todo o corpo para ele endurecer. Pesadas pulseiras de chumbo nos braços para ‘diminuir’ os movimentos involuntários”, descreve o autor. “Vivíamos uma época em que os estudos e técnicas de tratamentos ainda engatinhavam”, comenta.

A obra é dividida em sete partes. O autor revela desde a exclusão que sofreu durante a ditadura militar até suas principais experiências pessoais e acadêmicas em três faculdades, cinco pós-graduações e dois doutorados.

“É leitura para psicólogos, pedagogos, militantes da inclusão social e todos abertos à empatia”, diz Emílio Figueira, que tem mais de 70 trabalhos publicados, entre livros impressos e digitais, peças teatrais e roteiros audiovisuais, e atua nas questões referentes às pessoas com deficiência desde a década de 1980.

Ficha Técnica:
Título: O Caso do Tipógrafo
Autor: Emílio Figueira
(www.emiliofigueira.com.br)
ISBN: 978-65-00-03468-4
Páginas: 226
Formato: 23×16 cm
Preço: R$ 19,97
Para comprar: https://amzn.to/2AtWQAu



Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.

VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima.

Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais, enviadas pelo Whatsapp ou Telegram são produzidas e publicadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.

Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com. E acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais:
Facebook.com/VencerLimites
Twitter.com/VencerLimitesBR
Instagram.com/blogVencerLimites



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: