‘Escuta Ativa’ e a musicalidade corporal dos surdos

‘Escuta Ativa’ e a musicalidade corporal dos surdos

Documentário mostra ensaios de crianças e adolescentes surdos para sua primeira apresentação. Curta está redes sociais da Orquestra Moderna, projeto que ensina música para pessoas com deficiência auditiva.

Luiz Alexandre Souza Ventura

01 de agosto de 2019 | 13h00


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da Imagem #pracegover: Orquestra está no palco e tem vários músicos. Um maestro está ao centro e, ao lado dele, dois condutores orientam jovens surdos nas duas laterais do tablado, que usam os próprios corpos como instrumentos de percussão. Crédito: Reprodução.


‘Escuta Ativa’, documentário lançado nesta quinta-feira, 1, mostra a preparação de pessoas com deficiência auditiva para sua estreia em apresentações musicais. A primeira parte do curta já está nas redes sociais da Orquestra Moderna (YouTube, Instagram e Facebook) e a apresentação completa chega em novembro.

O filme tem o mesmo nome do projeto desenvolvido dentro da Orquestra Moderna, fundada por Daniel Valeriano, que ensina música a crianças e adolescentes surdos (10 a 16 anos). A ideia surgiu após o diretor observar as mudanças na autoestima dos integrantes a partir do envolvimento com ritmos, vibrações e tempo.

“O registro do processo educativo é importante para marcar o histórico do projeto, para acompanhar a evolução intelectual dos participantes e também para identificar os melhores métodos de inserção de novas linguagens no cotidiano desses meninos e meninas”, diz o diretor da Orquestra Moderna.



“Um dos aspectos que mais emociona é a dedicação e alegria dos garotos por terem a oportunidade de fazer algo que a maioria não imaginava ser possível. Todos ficamos surpresos em ver no dia a dia a forma como eles transpunham barreiras e se engajavam com o que era proposto”, comenta Valeriano.

A viabilidade de ensinar música para surdos era sempre questionada, ressalta o diretor. A equipe de filmagem acompanhou a rotina de ensaios com Charles Raszl e André Venegas, que são artistas e pedagogos especialistas em percussão corporal. Foram seis meses desde o primeiro encontro até a apresentação no Auditório do MASP (Museu de Arte de São Paulo), em novembro de 2018.

Todos os participantes são alunos da Derdic, entidade sem fins lucrativos que atua na educação de surdos e no atendimento clínico a pessoas com alterações de audição, voz e linguagem. A instituição é mantida pela Fundação São Paulo e vinculada à PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Parte dos ensaios foi feita da Derdic, com acompanhamento pedagógico.

O projeto Escuta Ativa convida um novo artista a cada semestre para coordenar e desenvolver trabalhos musicais diferentes com os alunos.

FICHA TÉCNICA – O documentário ‘Escuta Ativa’ foi produzido pela Frontera Filmes, com direção e roteiro de Marcela Chamlian, produção executiva de Luiza Marques da Costa, e direção de fotografia Tiago Pinheiro.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.