Facebook censura foto de filme que critica a exclusão e bloqueia artista com deficiência

Facebook censura foto de filme que critica a exclusão e bloqueia artista com deficiência

"Criei um corpo intruso", diz Estela Lapponi, diretora do curta 'profanAÇÃO', que aparece com os seios expostos em trecho da produção compartilhado na rede. Mesma imagem foi liberada no Instagram.

Luiz Alexandre Souza Ventura

15 de setembro de 2020 | 16h41


ABERTURA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)


Ouça essa reportagem com Audima no player acima, acione a tradução do texto em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Descrição da imagem #pracegover: Foto da vídeoartista Estela Lapponi no filme ‘profanAÇÃO’. Ela olha para a câmera, está sem camisa, com o seio direito exposto e o seio esquerdo coberto pelos cabelos, que são longos e pretos. Tem uma faca entre os dentes e uma fruta na mão direita. Ao fundo, uma densa vegetação. Crédito: Reprodução.


Uma publicação da performer e vídeoartista Estela Lapponi, diretora do curta-metragem ‘profanAÇÃO’, foi censurada pelo Facebook porque, conforme explica a rede, “não seguiu padrões da comunidade sobre nudez e atividade sexual”.

A foto faz parte de uma publicação com oito imagens, compartilhada pela diretora no dia 26 de agosto em seu perfil no Instagram, onde está liberada e não precisou de nenhuma reavaliação.

O mesmo post subiu no Facebook, no habitual esquema de replicar publicações na duas plataformas – que são integradas e pertencem à mesma empresa -, mas na rede criada por Mark Zuckerberg as imagens são abertas individualmente. Além de censurar a foto, o Facebook bloqueou o perfil da artista por 30 dias.

“Não posso aceitar amizade, curtir páginas, comentar ou curtir post e muito menos compartilhar no feed e nem no story do Facebook”, comenta a diretora. “Criei um corpo intruso”, diz Estela Lapponi.


Descrição da imagem #pracegover: Foto da vídeoartista Estela Lapponi no filme ‘profanAÇÃO’. Ela olha para a câmera, está sem camisa, com o seio direito exposto e o seio esquerdo coberto pelos cabelos, que são longos e pretos. Tem uma faca entre os dentes e uma fruta na mão direita. Ao fundo, uma densa vegetação. Crédito: Reprodução.



Critérios – Uma das principais mensagens propagadas pelo Facebook é da liberdade de expressão. Esse argumento é constantemente usado pela rede e por seus executivos, principalmente por Mark Zuckerberg, quando questionados a respeito de publicações na rede que disseminam discursos de ódio, racismo, homofobia, preconceito, discriminação e fake news.

“Não somos uma empresa de mídia”, é a resposta frequente do Facebook, que se viu obrigado a reavaliar os critérios para bloqueio de posts e usuários durante a pandemia, inclusive de autoridades como o presidente Jair Bolsonaro e também Donald Trump, presidente dos Estados Unidos.

Resposta – Questionado pelo #blogVencerLimites sobre o caso, o Facebook ainda não respondeu.


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais gravada pelo intérprete e tradutor Gabriel Finamore.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.

blogVencerLimites@gmail.com
Facebook.com/VencerLimites
Twitter.com/VencerLimitesBR
Instagram.com/blogVencerLimites



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.