Grupo de teatro discute preconceito e discriminação em espetáculo inclusivo

Grupo de teatro discute preconceito e discriminação em espetáculo inclusivo

Companhia 'Os Inclusos e os Sisos', fundada pela atriz Tatá Werneck, apresentou a peça 'Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho' no sábado, 19, ao vivo pela internet, para celebrar o Dia Nacional do Teatro Acessível. Vídeo completo com audiodescrição, legendas e interpretação em Libras está no YouTube. Projeto da ONG Escola de Gente tem apoio do Unicef.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 de setembro de 2020 | 13h45


ABERTURA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)


Ouça essa reportagem com Audima no player acima, acione a tradução do texto em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Descrição da imagem #pracegover: Em uma tela retangular de fundo na cor roxa, uma atriz, dois atores e um intérprete de Libras estão em quadros separados durante uma cena da peça ‘Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho’ do grupo ‘Os Inclusos e os Sisos’. Crédito: Reprodução.


Questões cotidianas de preconceito e discriminação vivenciadas por pessoas com e sem deficiência estão no espetáculo ‘Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho’, do grupo de teatro ‘Os Inclusos e os Sisos’, encenado ao vivo no sábado, 19, para celebrar o Dia Nacional do Teatro Acessível.

Na peça, que tem 40 minutos de duração, o elenco se reveza em personagens por esquetes curtas que usam o humor para levar o público a reflexões e se reconhecer nas personagens. O vídeo completo está no YouTube, com legendas, audiodescrição e interpretação em Libras.

Os recursos de acessibilidade foram incluídos de maneira simultânea por uma solução desenvolvida pela ONG Escola de Gente. O projeto tem apoio do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

A companhia ‘Os Inclusos e os Sisos’ foi criada por Tatá Werneck em 2003 e o espetáculo ‘Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho’ é inspirado em livro de Claudia Werneck, mãe da atriz e superintendente da Escola de Gente.

Recursos de acessibilidade em produções culturais, presenciais ou virtuais garantem que pessoas com deficiência, idosas, com baixo letramento e qualquer outra dificuldade possam participar do evento e acompanhar as informações com autonomia e independência.

Ficha técnica do projeto
Coordenação: Pedro Prata
Direção: Carolina Godinho
Orientação do grupo: Diego Molina
Elenco: Diogo Fujimura, Fábio Nunes, Fabíola Godoi, Leandro Lamas, Mariana Rebelo e Victor Albuquerque
Audiodescrição: Nara Monteiro
Língua de sinais: JDL Traduções
Operação de vídeo: Márcio Freitas
Comunicação: Ricardo Teixeira
Assessoria de imprensa: Dobbs Scarpa Assessoria de Comunicação
Administração: Luciana Gomes
Consultoria em lei de incentivo: Natália
Simonete
Duração: 40 minutos
Classificação etária: Livre


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais gravada pelo intérprete e tradutor Gabriel Finamore.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.

blogVencerLimites@gmail.com
Facebook.com/VencerLimites
Twitter.com/VencerLimitesBR
Instagram.com/blogVencerLimites



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: