Guia de inclusão digital defende acessibilidade como objetivo de desenvolvimento sustentável

Guia de inclusão digital defende acessibilidade como objetivo de desenvolvimento sustentável

Publicação do Legal Grounds Institute tem diretrizes para construção de conteúdos e sistemas realmente acessíveis, além de reforçar a importância do engajamento de organizações e da sociedade.

Luiz Alexandre Souza Ventura

08 de dezembro de 2021 | 16h20

Capa do Guia Prático de Acessibilidade e Inclusão Digital na tela de um notebook. Imagem mostra foto sem cores de duas mãos sobre um teclado de computador.

Clique na imagem para assistir ao evento online de lançamento. Foto: blog Vencer Limites.


Acessibilidade como o 18º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) é a proposta defendida no Guia Prático de Acessibilidade e Inclusão Digital, lançado nesta quarta-feira, 8, pelo Legal Grounds Institute, antes chamado de Instituto LGPD (clique aqui para assistir ao evento online).

Segundo a ONU, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são um apelo global à ação para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade.

“Estes são os objetivos para os quais as Nações Unidas estão contribuindo a fim de que possamos atingir a Agenda 2030 no Brasil”, diz a Organização.

O guia foi desenvolvido por iniciativa de Cid Torquato, ex-secretário municipal da pessoa com deficiência de São Paulo, em conjunto com a advogada Juliana Abrusio. A criação tem parceria com o escritório Machado Meyer Advogados, tem apoio do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (CESA) e da rede E.S.S.E. Mundo Digital.

O documento tem quatro capítulos com diretrizes para a construção de conteúdos e sistemas que favoreçam a acessibilidade digital, tratando de temas como o histórico e os benefícios da inclusão digital, diretrizes e boas práticas de acessibilidade. Também evidencia a importância do engajamento das organizações (públicas e privadas) e da sociedade para a inclusão digital.



No pósfacio, o guia trata da inclusão do 18º ODS, com publicação de artigo escrito por Cid Torquato com a jornalista Ciça Cordeiro.

“A acessibilidade, seja ela física, comunicacional ou atitudinal, entre outras, representa o ferramental fundamental para a estruturação de sociedades realmente sustentáveis”, dizem os autores.

“Acessibilidade, inclusão, diversidade e sustentabilidade são conceitos essencialmente interligados, interconectados e interdependentes, sem os quais não venceremos os desafios humanos e ambientais que, hoje, colocam em xeque o futuro do planeta”, ressaltam.


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.