Hand Talk lança tradução para a Língua Americana de Sinais

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Hand Talk lança tradução para a Língua Americana de Sinais

Aplicativo para smartphone e tablet que converte texto e áudio para Libras agora também interpreta conteúdos em inglês na ASL (American Sign Language). Projeto da empresa de Maceió, especializada em soluções de acessibilidade digital para pessoas com deficiência auditiva, foi selecionado para o 'Desafio Google de Impacto em Inteligência Artificial' do ano passado. Ferramenta para websites da startup está incorporada ao #blogVencerLimites desde 2018.

Luiz Alexandre Souza Ventura

03 de junho de 2020 | 09h00


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Foto de um smartphone com a tela inicial do aplicativo da Hand Talk. O menu de comandos está aberto no lado esquerdo, mostrando no alto os botões de troca de idiomas, indicados por ícones com as bandeiras do Brasil e dos Estados Unidos. Crédito: blog Vencer Limites.


O aplicativo da Hand Talk para smartphone e tablet que faz a tradução de textos e áudios para Libras, a Língua Brasileira de Sinais, agora também converte conteúdos em inglês para ASL (American Sign Language), a Língua Americana de Sinais.

Lançada oficialmente nesta quarta-feira, 3, a nova solução começou a ser construída no ano passado, quando a startup de Maceió recebeu um aporte de R$ 3 milhões do Google.org, por meio do ‘Desafio de Impacto em Inteligência Artificial Google AI Challenge

Para escolher o idioma no app atualizado (Android e iOS), o usuário só precisa fazer a troca acessando o menu no canto superior esquerdo da tela inicial, selecionando a bandeira do Estados Unidos e, a partir dessa opção, inserir conteúdos em inglês, que serão traduzido para a Língua Americana de Sinais.



“A missão da Hand Talk é quebrar as barreiras de comunicação entre surdos e ouvintes. Libras não é universal e existem diferentes línguas de sinais em todo o mundo”, diz a Hand Talk.

“Escolhemos adicionar a Língua Americana de Sinais por ser muito utilizada. Estima-se que, só nos Estados Unidos, a ASL está presente na comunicação de até 2 milhões de pessoas. Também é usada em países como Filipinas, Porto Rico, República Dominicana, além de algumas partes do Canadá e do México”, afirma a startup.


“Mercado da acessibilidade cresceu de maneira absurda nos últimos anos”, diz Ronaldo Tenório, CEO da Hand Talk


“Além de toda a tecnologia, por trás dessa novidade está um time de especialistas em Língua Americana de Sinais. Por meio de um sistema colaborativo, eles gravam e etiquetam vídeos dos sinais e sentenças, melhorando a tradução do Hugo e construindo um vocabulário cada vez mais abrangente” explica a empresa.

“Esses dados são o insumo essencial para que o sistema de inteligência artificial tenha um bom desempenho e, dessa forma, consigamos uma tradução para uma língua tão rica e completa como fazemos com a Libras”, ressalta a Hand Talk.

O Plugin de Acessibilidade para Sites da startup, anteriormente chamado de Tradutor de Sites, está incorporado ao #blogVencerLimites desde 2018.



Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.

VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima.

Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais, enviadas pelo Whatsapp ou Telegram são produzidas e publicadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.

Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com. E acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais:
Facebook.com/VencerLimites
Twitter.com/VencerLimitesBR
Instagram.com/blogVencerLimites



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: