Homens com deficiência intelectual precisam fazer exame de próstata

Homens com deficiência intelectual precisam fazer exame de próstata

Instituição alerta para prevenção do câncer e outras doenças. Médico urologista explica que responsáveis e cuidadores devem ficar atentos a sintomas como dificuldades para fazer xixi ou infecções urinárias.

Luiz Alexandre Souza Ventura

25 de novembro de 2021 | 18h00

Foto de um grupo de homens, todos de costas para a câmera, assistindo a uma palestra.

Especialista afirma que ainda há preconceito entre os homens sobre o exame de toque. Crédito: Reprodução.


Homens que têm deficiência intelectual precisam fazer exames como PSAL / PSAT (PSA Livre e PSA Total) e EAS (Exame de urina), além do procedimento de toque, para prevenir problemas na próstata e obter diagnóstico precoce de câncer e outras doenças.

Também é importante que responsáveis e cuidadores estejam atentos a sintomas como dificuldade para urinar, retenção urinária, hematúria (sangue na urina) e infecção urinária frequente.

O alerta é feito pela CENSA Betim, instituição que cuida de pessoas com deficiência intelectual e autistas.

“Protocolos de prevenção e diagnóstico do câncer de próstata em pessoas com deficiência seguem as diretrizes previstas para o público masculino. É preciso paciência e respeito, em consonância com a Sociedade Brasileira de Urologia, com exames em homens acima de 40 anos, que têm histórico familiar de câncer de próstata, e também negros, e com mais de 45 anos para todos”, explica o médico urologista Luiz Antônio de Oliveira, parceiro da organização.

O especialista afirma que ainda há preconceito entre os homens sobre o exame de toque. “Faço questão de reforçar que todos devem se submeter ao preventivo uma vez ao ano. Fica mais fácil detectar e resolver problemas precocemente”, diz.

“É essencial fazer também o ultrassom da pelve com resíduo urinário e a biópsia se houver suspeita de câncer de próstata”, orienta o urologista.

A campanha Novembro Azul chama atenção para prevenção, tratamentos e avanços da ciência no combate ao câncer. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), mais de 60 mil novos casos de câncer de próstata devem surgir no Brasil em 2021.


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.