Jovem cobra de Alckmin mais acesso de pessoas com deficiência ao trabalho

Jovem cobra de Alckmin mais acesso de pessoas com deficiência ao trabalho

Tércio Vinícius, de 28 anos, estava em uma cadeira de rodas e abordou o governador de SP durante evento oficial. Rapaz também falou com o prefeito de Santos.

Luiz Alexandre Souza Ventura

18 de dezembro de 2015 | 16h54

Tércio Vinícius abordou Geraldo Alckmin em Santos. Foto Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

Tércio Vinícius abordou Geraldo Alckmin em Santos. Foto Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

———-

Um morador de Santos, no litoral sul de São Paulo, aproveitou uma brecha durante evento realizado nesta sexta-feira, 18, para cobrar pessoalmente do governador de SP, Geraldo Alckmin (PSDB), e do prefeito santista, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), mais acessibilidade na cidade e também mais acesso ao trabalho. Governador e prefeito não comentaram o conteúdo da conversa.

“Aqui na cidade, as rampas têm muita inclinação e quem usa a cadeira de rodas ou tem dificuldade de locomoção pode cair. Em muitos locais eu preciso de ajuda para subir porque nem rampa tem”, disse Tércio Vinícius Oliveira Dutra, de 28 anos, usuário de cadeira de rodas desde 1998, após sofrer um traumatismo craniano em uma queda de bicicleta durante decida, em alta velocidade, pelas ruas da Ilha Porchat, em São Vicente.

O jovem também pediu mais empenho da administração santista no apoio à inclusão da pessoa com deficiência. “É difícil entrar no mercado de trabalho. As empresas não querem investir em equipamentos de acessibilidade ou até mesmo em banheiro adaptados. Procuro emprego há muitos anos e não consigo”, diz.

Jovem também falou com o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa. Foto: Isabela Carrari

Jovem também falou com o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa. Foto: Isabela Carrari

De acordo com Eduardo Ravasini, responsável pela Coordenadoria Municipal de Defesa de Políticas para Pessoas com Deficiência – ligada à secretaria de Defesa e Cidadania -, em 2013, 15 cidadãos com deficiência, inclusive Tércio Vinícius, se formaram como auxiliares em Logística Básica Portuária, em curso promovido pela Prefeitura.

“No final do mesmo ano, com o apoio de várias entidades, lançamos o Fórum Municipal de Empregabilidade, que atua junto com o poder público e profissionais liberais. Nós sabemos que a inclusão da pessoa com deficiência no trabalho envolve diversos aspectos, desde o interesse da pessoa, a expectativa da família e a realidade do empregador, que também encontra barreiras. É claro que muitos empresários fazem ‘corpo mole’ e nós trabalhamos para mudar esse pensamento”, diz o coordenador.

Ravasini destaca ainda o lançamento, na próxima segunda-feira, 21, da primeira central de Libras (Língua Brasileira de Sinais) da Baixada Santista. “A proposta partiu da secretaria de Defesa e Cidadania, teve apoio fundamental do Condefi (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência) e do governo federal. Uma profissional, servidora pública, intérprete de Libras, fará atendimento no local escolhido pelo cidadão”, explica.

O atendimento, de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h, com prioridade para o setor de Saúde, deve ser agendado com, no mínimo, 24 horas de antecedência, somente no telefone (13) 3201-5175. Na segunda quinzena de janeiro devem começar a ser usados seis tablets para teleconferência.

———-

Tudo o que sabemos sobre:

Geraldo AlckminTrabalho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: