São Paulo ganha centrais de Libras

São Paulo ganha centrais de Libras

Criados pelo governo de SP e pela Prefeitura da capital paulista, serviços atendem pessoas com deficiência auditiva e pretendem facilitar a comunicação e o acesso a instituições públicas. Segundo o Censo IBGE 2010, o Estado de São Paulo tem 1.893.359 cidadãos surdos.

Luiz Alexandre Souza Ventura

23 Setembro 2015 | 14h07

Símbolo da Língua Brasileira de Sinais (LIbras). Imagem: Reprodução

Símbolo da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Imagem: Reprodução

———-

A cidade de São Paulo ganhou centrais de Libras (Língua Brasileira de Sinais) neste mês. Criadas pelo governo de SP e pela Prefeitura da capital paulista, chegam para ampliar o acesso de pessoas com deficiência auditiva aos serviços públicos.

No trabalho oferecido pelo governo de SP, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o cidadão surdo entra no estabelecimento público e procura o responsável pelo atendimento. Sabendo que se trata de um surdo, a pessoa é levada à central de Libras, equipada com um computador ou tablet. O cidadão apresenta sua dúvida, na Língua Brasileira de Sinais, e o intérprete traduz para a língua portuguesa. O funcionário responde em português e o intérprete traduz a informação para Libras, em tempo real.

O primeiro ponto de atendimento será na sede do Ministério Público de São Paulo, no centro da capital. Até o final do ano, conforme informações do governo paulista, serão 50 em todo o Estado.

Governo de SP pretende instalar 50 centrais de Libras em todo o Estado até o fim do ano. Foto: Divulgação.

Governo de SP pretende instalar 50 centrais de Libras em todo o Estado até o fim do ano. Foto: Divulgação.

A central da Prefeitura, criada por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, funciona com três modalidades diferentes.

In loco – o usuário solicita que um intérprete de Libras ou guia-intérprete (se for uma pessoa surdocega) se desloque até o serviço público em que ele precise de atendimento. O cidadão usa a língua de sinais para se comunicar com o intérprete, que faz a tradução simultânea para o atendente do estabelecimento e vice-versa.

Presencial – O solicitante vai até a central, na sede da secretaria municipal – que fica na Rua Libero Badaró, nº 425, 32º andar, Centro – para que um intérprete o auxilie no contato com um órgão público.

Nessas duas modalidades, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 20h. Solicitações e agendamentos podem ser presencial, pelos telefones (11) 3913-4097/4208, no e-mail agendamentos.cil.sp@gmail.com e também pelo Whatsapp: (11) 950-886-540.

Atendimento da Central de Libras da Prefeitura de São Paulo tem três modalidades. Foto: Divulgação

Atendimento da Central de Libras da Prefeitura de São Paulo tem três modalidades. Foto: Divulgação

Atendimento Virtual (em implementação) – Com aplicativo instalado em smartphone, tablet ou computador, a mediação será feita pela internet para informar uma emergência médica, manter contato com um serviço público, ou mesmo para se comunicar com outra pessoa em Libras de forma direta. Inicialmente serão instalados nas praças de atendimento das subprefeituras totens para acesso virtual à central. Nesta modalidade, a comunicação poderá ser feita por texto, vídeo ou mensagem de voz.

VÍDEO: saiba como funciona a Central de Libras de São Paulo.

VÍDEO: saiba como funciona a Central de Libras de São Paulo.

———-

Mais conteúdo sobre:

Libras