Máscaras transparentes geram renda para costureiras e promovem acessibilidade

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Máscaras transparentes geram renda para costureiras e promovem acessibilidade

Modelos de algodão são laváveis e têm visor que não embaça na região da boca. Equipamentos permitem leitura labial e humanizam o convívio ao mostrar sorrisos e expressões faciais. Fundação Grupo Volkswagen e BASF apoiam produção. Itens vendidos a preço de custo fortalecem negócios familiares na pandemia.

Luiz Alexandre Souza Ventura

11 de julho de 2020 | 11h33


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Foto do rosto de uma mulher de pele e olhos claros, cabelos longos e enrolados, que tem no rosto um máscara de proteção com espaço transparente na região da boca. A mulher está sorrindo e olhando para a câmera. Crédito: Divulgação.


Atualizado em 13/7/2020 às 19h – Costureiras do ABC Paulista ligadas ao empreendimento social Divina Agulha, com sede em São Caetano do Sul, estão em plena atividade na pandemia de covid-19. O trabalho na crise provocada pelo coronavírus é centralizado na produção de 100 mil máscaras com uma característica importante e específica. Os modelos em algodão têm na região da boca uma lâmina transparente, o que permite ver durante a fala movimentos do rosto, expressões e até sorrisos. É uma dinâmica fundamental para pessoas com deficiência auditiva que fazem leitura labial.

Com o uso obrigatório das máscaras de proteção em todo o País, a leitura dos lábios, única maneira para muitos surdos entenderem o que outras pessoas estão falando, se tornou impossível, especialmente nos telejornais, com repórteres de rosto coberto do nariz ao queixo.

Desde o começo da pandemia, surgiram em vários países ideias para confecção de itens transparentes que mantêm pessoas com deficiência auditiva na conversa. Essa foi a inspiração de um estudante de mestrado em gestão da inovação da Universidade Federal do ABC. O aluno trabalha na Volkswagen Financial Services, empresa de governança da Fundação Grupo Volkswagen, e apresentou à instituição a ideia de um protótipo.

A Fundação Grupo Volkswagen, que tem várias iniciativas, inclusive ações para pessoas com deficiência, coordena o projeto ‘Costurando o Futuro’, voltado à empregabilidade e ao empreendedorismo em comunidades com a formação profissional em costura. As famílias vendem bolsas, mochilas e outros acessórios feitos de tecidos automotivos doados pelo Grupo VW e fornecedores, produzidos com a técnica do upcycling.


Descrição da imagem #pracegover: Foto de uma mulher manuseando uma máquina de costura. Crédito: Divulgação.


O primeiro protótipo da máscara transparente, testado por pessoas com deficiência, tinha um problema: o visor embaçava. Com essa dificuldade em mãos, a Fundação procurou a BASF, que incluiu no projeto um de seus parceiros, a Parnaplast, e criou um filme plástico antiembaçante.

VW e BASF doaram matéria-prima para a produção das mais de 100 mil máscaras e as famílias do ABC Paulista estão à frente de suas máquinas de costura para entregar as primeiras encomendas, feitas pela própria BASF e por associações de pessoas com deficiência auditiva.

São 100 pessoas trabalhando na confecção. As máscaras são vendidas a preço de custo e toda a renda fica com as famílias. As costureiras já haviam produzido 120 mil modelos tradicionais de algodão, encomendados por empresas do Grupo Volkswagen, concessionários e fornecedores.

Quem tiver interesse em comprar pode fazer o pedido direto pela internet, com a opção de adquirir 5, 10, 100 ou 1.000 unidades (clique no número). Para informações sobre outras formas de obter o produto, entre em contato com a Fundação Grupo Volkswagen (clique aqui).

Entre a primeira publicação dessa reportagem, no sábado, 11, e a atualização desta segunda-feira 13, as costureiras receberam mais de 1.000 pedidos.

____________________________________________

Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.

VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima.

Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais, enviadas pelo Whatsapp ou Telegram são produzidas e publicadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.

Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com. E acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais:
Facebook.com/VencerLimites
Twitter.com/VencerLimitesBR
Instagram.com/blogVencerLimites

____________________________________________

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: