Mil quilômetros com o Volvo XC90

Mil quilômetros com o Volvo XC90

O #blogVencerLimites testou o modelo topo de linha da montadora sueca durante uma semana, avaliando de que forma a combinação de tecnologia e segurança garante conforto para motorista e passageiros. Comercializado no Brasil a valores entre R$ 363 mil e R$ 533 mil, o veículo está incluído no Volvo For All, projeto lançado no ano passado que prevê isenção de IPI para pessoas com deficiência em todos os modelos da marca vendidos no Brasil.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 de setembro de 2017 | 17h28

Carros da Volvo chegam ao Brasil pelo Porto de Cariacica, Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Foto: Divulgação

Carros da Volvo chegam ao Brasil pelo Porto de Cariacica, Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Foto: Divulgação


Ergonomia é o estudo das relações entre o ser humano e a máquina para obter dessa interação o máximo de segurança e eficiência. É o que permite a evolução constante de equipamentos como cadeiras de rodas, andadores, muletas, próteses, aparelhos auditivos, óculos, a cadeira que você usa no escritório, o sofá em casa, o mouse do computador, a posição de trabalho em uma fábrica e muito mais.

Também é por meio da ergonomia que aviões, caminhões, ônibus, carros, motos e até bicicletas se tornam cada vez mais confortáveis para o ser humano.

É essencial para qualquer pessoa e, para quem convive com uma ou várias deficiências, é fundamental porque nossa interação com os equipamentos de acessibilidade precisa ser absolutamente eficiente e segura. Essas máquinas, esses dispositivos, substituem uma função do nosso corpo que não está plena naquele momento.

Volvo For All prevê isenção de IPI para pessoas com deficiência em todos os modelos da marca vendidos no Brasil. Foto: Divulgação

Volvo For All prevê isenção de IPI para pessoas com deficiência em todos os modelos da marca vendidos no Brasil. Foto: Divulgação


Para falar sobre como essa ciência melhora a vida de pessoas com deficiência, o #blogVencerLimites avaliou durante uma semana, em um trajeto de 1.000 quilômetros, o Volvo XC90 (modelo D5 Inscription Drive-E), veículo topo de linha da montadora sueca famosa pela combinação de tecnologia e segurança, e também uma das empresas de veículos que mais investe em ergonomia.

Fabricados inteiramente na Suécia, os carros da Volvo chegam ao Brasil pelo Porto de Cariacica, Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Atualmente, todos os modelos da marca vendidos no País estão incluídos no Volvo For All, projeto lançado no ano passado que prevê isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para pessoas com deficiência. A alíquota para motor a gasolina é de 13%. E para diesel chega a 25%.

Antes de qualquer informação técnica, vamos destacar preços. São seis opções no Brasil, com valores entre R$ 362.950 e R$ 532.950, e motores a diesel, gasolina e também uma versão híbrida (gasolina/eletricidade).

Bancos do XC90 têm revestimento em couro soft perfurado de cor caramelo e com ventilação. Foto: Divulgação

Bancos do XC90 têm revestimento em couro soft perfurado de cor caramelo e com ventilação. Foto: Divulgação


A primeira impressão que você pode ter ao visualizar o XC90 é que se trata de um carro para a família. Apesar do tamanho imponente – 1.80m de altura, 5 metros de comprimento e 2 metros de largura -, o design é leve, sofisticado e não tem pegada excessivamente esportiva, o que pode desagradar quem curte visual mais agressivo em SUVs, a exemplo do BMW X6 ou do Porche Cayenne. Esse detalhe tem uma relação direta com gosto pessoal e também com o momento da vida do proprietário, e não altera a qualidade de nenhum desses modelos.

O modelo testado tem escapamento duplo integrado ao para-choque, espelhos retrovisores elétricos retráteis com indicador direcional de LED – além e desembaçador e memória -, friso lateral cromado (Inscription), grade frontal com acabamento cromado, maçanetas com iluminação para o piso, moldura dos vidros laterais com acabamento em alumínio, moldura cromada no para-choque traseiro, rack de teto de alumínio integrado, soleira de porta em alumínio com iluminação e rodas de liga com 20 polegadas (R10D – Pneu275/45 R20) com sistema de monitoramento de pressão dos pneus.

Ao entrar no Volvo XC90, você percebe que está diante de um produto diferenciado, com acabamento refinado e de alta qualidade que leva o nome de ‘Linear Walnut’, com portas revestidas em couro soft de cor caramelo, perfurado e com ventilação, detalhes em madeira, apoio de braço dianteiro com porta-objetos, bússola, espelhos retrovisores interno e externos com escurecimento automático, jogo de tapetes em carpete Inscription, manopla de cambio revestida em couro, pacote de luzes interiores premium, para-sol com espelho e iluminação em LED, porta-copos para todos os bancos, porta-objetos nas portas dianteiras, tomadas de 12V e 230V, e volante revestido em couro e acabamento em alumínio. O painel em tom carvão, usado também nos carpetes e no porta-malas.

Veículo tem espaço para sete pessoas, mas usufruem verdadeiramente do conforto somente quatro pessoas, duas na frente e outras duas nos assentos laterais da segunda fileira. Foto: Divulgação

Veículo tem espaço para sete pessoas, mas usufruem verdadeiramente do conforto somente quatro pessoas, duas na frente e outras duas nos assentos laterais da segunda fileira. Foto: Divulgação


Os bancos recebem o mesmo couro soft perfurado de cor caramelo e com ventilação. O veículo tem espaço para sete pessoas, divididas em três fileiras de bancos, mas é importante destacar que, no caso de jovens ou adultos, usufruem verdadeiramente do conforto somente quatro pessoas, duas na frente e outras duas nos assentos laterais da segunda fileira.

O banco do meio da segunda fileira se transforma em uma cadeirinha para transporte de crianças. Especificamente para essa função é ótimo, mas uma pessoa com estatura média não consegue encontrar posição naquele espaço. O mesmo vale para os dois bancos da terceira fileira, escondidos no porta-malas. Embora tenham encostos largos, a posição é fixa e o espaço para as pernas é restrito, o que pode ser bastante incômodo, principalmente em longas jornadas. Para crianças que podem viajar no ‘fundão’, certamente será divertido.

Ainda falando sobre o espaço interno, os passageiros da fileira do meio, nos bancos laterais, ficam muito bem acomodados, mesmo quem tem até 1,90m de altura (montadoras ainda precisam lembrar de pessoas muito altas). As configurações do encosto ajudam a manter uma posição agradável tanto para aqueles que preferem, ou precisam, ficar recostados em 90 graus, quanto para quem gosta, ou tem a necessidade, de estar um pouco mais inclinado.

Banco do meio da segunda fileira se transforma em uma cadeirinha para transporte de crianças. Especificamente para essa função é ótimo, mas uma pessoa com estatura média não consegue encontrar posição. Foto: Divulgação

Banco do meio da segunda fileira se transforma em uma cadeirinha para transporte de crianças. Especificamente para essa função é ótimo, mas uma pessoa com estatura média não consegue encontrar posição. Foto: Divulgação


No assento do ‘copiloto’ a situação começa a ficar muito melhor. O banco tem aquecimento e configurações de diversos tipos, todas eletrônicas, comandadas por três botões laterais. É possível regular com precisão de centímetros o ângulo do encosto, a distância em relação ao painel e ao banco traseiro, e a altura, além do mecanismo que permite inflar partes do encosto para o passageiro ficar firme na poltrona, inclusive suporte lombar, e ainda a possibilidade de avançar ou recuar, subir ou descer, uma parte dianteira do assento, proporcionando mais apoio e conforto às pernas. Detalhe que faz toda a diferença está na porta: quatro botões (M – 1 – 2 – 3) para memorizar posições. Dessa forma, você encontra a sua posição perfeita e registra. O carro faz o resto. As mesmas configurações estão presentes no assento do motorista.

A climatização também é especial, com ar-condicionado digital de quatro zonas e refrigeração do porta-luvas, sistema de qualidade de ar, saídas e configurações exclusivas para terceira fileira de assentos e telas laterais traseiras de proteção solar. Há ainda o teto solar panorâmico elétrico que proporciona uma experiência sensorial à parte.

MOTORISTA – Guiar o Volvo XC90 é algo único porque a combinação dos itens de segurança (Intellisafe) com a tecnologia, tanto para a dirigibilidade quanto para o consumo eficiente de energia, aliados à conectividade do carro, fazem dessa experiência uma elevação no nível de exigência que você irá desenvolver ao avaliar outros modelos no futuro, inclusive no momento de comprar qualquer carro, independentemente do valor.

Em entrevista coletiva recente, o engenheiro mecânico João Oliveira, diretor comercial da Volvo Cars Brasil, resumiu essa sensação. “Infelizmente, não conseguimos colocar um carro nosso na mão de cada brasileiro, mas podemos colocar um pouco da Volvo no veículo de cada cidadão do País”, disse o executivo idealizador do programa Volvo For All.

Guiar o Volvo XC90 é algo único proporcionado pela combinação dos itens de segurança (Intellisafe) com a tecnologia. Foto: Divulgação

Guiar o Volvo XC90 é algo único proporcionado pela combinação dos itens de segurança (Intellisafe) com a tecnologia. Foto: Divulgação


O comando do XC90 tem muitos detalhes, mas é simples e fácil de usar. Depois que o motorista aprende a dominar todas as configurações, a sensação de segurança se expande. O painel digital de instrumentos tem 12,3 polegadas, o que permite visão muito melhor das diversas informações, inclusive a tela detalhada do sistema de navegação (Sensus Navigation Pro com RSI – Road Sign Information), e o painel central em LCD de nove polegadas é touch screen e anti-reflexivo. Ainda assim, é muito melhor e mais seguro que você não fique tentando mexer nessa tela enquanto dirige, mesmo com o sistema de piloto automático ativado.

O carro tem ainda Apple CarPlay® e Android Auto®, controle do sistema de áudio no volante, uma conexão auxiliar (p2), duas entradas USB e bluetooth, além de CD player e sistema de áudio Bowers & Wilkins com 19 alto-falantes e Subwoofer (1400 watts).

No teste, rodamos pouco mais de 1.000 quilômetros, com passagem pelos municípios de São Paulo, Santos (no litoral sul do Estado) e Aparecida, no interior paulista, a 168 km da capital. Foram sete dias em diversos tipos de terreno, clima e iluminação, na estrada e na cidade, com trânsito e tráfegos intensos, e também em pistas totalmente livres.

Depois que o motorista aprende a dominar todas as configurações, a sensação de segurança se expande. Foto: Divulgação

Depois que o motorista aprende a dominar todas as configurações, a sensação de segurança se expande. Foto: Divulgação


DESTAQUES – Um dos principais pontos positivos do XC90 é o piloto automático. Você pode deixar o carro acelerar e frear automaticamente sem nenhum medo de provocar um acidente. O sistema funciona perfeitamente e, se você quiser, nem precisa ficar com os pés nos pedais do freio e do acelerador, até mesmo no meio do trânsito de São Paulo.

A experiência na estrada é ainda melhor, ampliada pela possibilidade do ‘Head Up display’ que projeta informações no parabrisa. Usamos o piloto automático por mais de 50 quilômetros no Rodoanel Mário Covas, desde a entrada pela Rodovia Presidente Dutra até a saída para a Rodovia dos Imigrantes em direção ao litoral. Com as pistas livres, o carro manteve a velocidade indicada, acompanhou as faixas, inclusive nas curvas, e acionou o freio quando necessário, até mesmo quando fomos ‘fechados’ por outros veículos. Também acionamos a ferramenta para a descida da serra pela Imigrantes, após a praça de pedágio, trajeto de velocidade baixa, mas com inclinação constante, o que exige controle da velocidade por todo o trajeto.

Nas duas ocasiões, a tecnologia permitiu ao motorista descansar durante a viagem, mantendo a mão no volante de forma leve apenas para mostrar ao carro que ele permanecia atento. Para uma pessoa com restrições de movimento nos pés e deformidades na coluna, a possibilidade de permanecer horas sem a necessidade de acelerar ou frear o veículo – aliado ao conforto do assento – foi fundamental para chegar ao destino sem dores ou desconfortos físicos.

Ergonomia é o estudo das relações entre o ser humano e a máquina para obter dessa interação o máximo de segurança e eficiência. Foto: Divulgação

Ergonomia é o estudo das relações entre o ser humano e a máquina para obter dessa interação o máximo de segurança e eficiência. Foto: Divulgação

Mesmo quando você precisa guiar, o Drive Mode, o controle de cruzeiro adaptativo (ACC) com assistente de direção (até 130km/h) e o controle de frenagem em descida fazem muita diferença.

Outro diferencial é a força do motor turbo diesel de 235cv, torque de 480 N.m (Newton-metro), equivalente a 48,95 kgf.m (Quilograma-força metro), sistema Power Pulse (que comprime e armazena o ar para eliminar o atraso na resposta do turbo durante a aceleração), câmbio automático de oito velocidades e tração integral.

Na cidade, usando as configurações Eco e Comfort, o consumo de combustível bateu em quase 12km/litro. Na estrada, o modo Dynamic acorda o ‘monstro’, dá muita força à aceleração e amplia a estabilidade. Nos terrenos mais irregulares, a função Off-Road funciona bem e você consegue sentir a elevação do sistema de suspensão a ar.

Também funcionaram muito bem o assistente de partida em aclive e declive e a função de estacionamento paralelo e perpendicular. A câmera com visão 360 graus (traseira, dianteira e laterais) é muito útil, principalmente para manobras.

O QUE FALTA – Assim como o carro tem um sistema inteligente para abrir e fechar o porta-malas, essa mesma tecnologia poderia estar presente para movimentar as portas laterais. Como o veículo é largo e o ângulo de abertura dessas portas é amplo, principalmente na frente, ao se acomodar no assento, o motorista e o passageiro precisam esticar o corpo para fechá-las.

Isso se mostrou um pouco mais difícil para pessoas com estatura menor e também para quem convive com restrições de mobilidade. No caso, por exemplo, de pessoas com lesão na coluna ou sequelas de condições neurológicas, muitas vezes o movimento do quadril é limitado e essa pessoa terá dificuldades.

Outra configuração que poderia ser incorporada ao XC90 seria na suspensão. Para entrar e sair do carro, mesmo quando está na posição mais baixa, a distância entre o solo e o assento é elevada, o que dificultou o acesso de pessoas com restrições de mobilidade. Para cadeirantes que não têm muita força nos braços, esse movimento foi muito difícil. Por isso, a possibilidade de baixar o carro ao máximo, somente com o veículo parado, proporcionaria melhor acessibilidade.

Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase 'VencerLimitesWhatsApp'

Quer receber as notícias do #blogVencerLimites pelo WhatsApp? Adicione (11) 97611-6558 aos contatos e mande a frase ‘VencerLimitesWhatsApp’


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn Google+ YouTube


Mais conteúdo sobre:

VolvoXC90Volvo For AllErgonomia