Mobility & Show 2016 mostra o potencial de vendas para pessoas com deficiência

Mobility & Show 2016 mostra o potencial de vendas para pessoas com deficiência

Evento em São Paulo vai reunir 13 fabricantes de veículos e apresentar mais de 50 modelos que podem ser comprados com isenção de IPI, ICMS, IOF e IPVA. Benefício pode chegar a 50% da população brasileira.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 Abril 2016 | 11h12

Vendas de veículos para pessoas com deficiência tiveram um crescimento de 26,5% no Brasil em 2015. Imagem: Divulgação

Vendas de veículos para pessoas com deficiência tiveram um crescimento de 26,5% no Brasil em 2015. Imagem: Divulgação

———-

As vendas de veículos para pessoas com deficiência tiveram um crescimento de 26,5% no Brasil em 2015. Um dos principais motivos para esse aumento é a divulgação, cada vez mais abrangente dos benefícios previstos na Lei nº 8.989/1995, que prevê isenção de IPI e IOF, e nas legislações estaduais que tratam da isenção de IPVA e ICMS.

“É um mercado com muito potencial e, além de tudo, um benefício para as marcas e, especialmente, para os consumidores com deficiência”diz Rodrigo Rosso, presidente da Associação Brasileira das Indústrias e Revendedores de Produtos e Serviços para Pessoas com Deficiência (ABRIDEF) e organizador da Mobility & Show 2016, feira realizada entre os dias 24 e 26 de junho, em São Paulo, e que vai reunir tudo o que pessoas com deficiência precisam para escolher e comprar um automóvel com as isenções previstas na lei.

Segundo o Censo IBGE 2010, aproximadamente 46 milhões de brasileiros têm alguma deficiência. São cidadãos com com deficiência física e mobilidade reduzida, idosos, diabéticos, portadores do vírus HIV, além de pessoas com câncer ou hepatite C. Todos podem adquirir um automóvel 0 km com isenções e pagar até 30% menos. Reunindo dados do IBGE, do Sistema Único de Saúde (SUS) e de outras instituições públicas e privadas, são aproximadamente 100 milhões de pessoas. Ou seja, um em cada dois brasileiros pode obter as isenções.

A lista é grande e pouco divulgada. Abrange pessoas com deficiência física, condutoras ou não e seus familiares, pessoas com deficiências mentais ou intelectuais graves e seus familiares, pessoas cegas e familiares, pessoas com paralisia cerebral e familiares, com Síndrome de Down e familiares, autistas e familiares, pessoas com amputação ou ausência de membro, com artrodese e artrose, artrite reumatoide, pessoas que sofreram AVC (Acidente Vascular Cerebral), câncer de mama e linfomas, com doenças degenerativas e neurológicas, doenças renais e crônicas, Talidomida, Mal de Parkinson, nanismo, Esclerose Múltipla, escoliose acentuada, hérnia de disco, hemiplegia e tetraparesia, problemas na coluna graves e crônicos, monoparesia e monoplegia, prótese interna e externa, mastectomia, Dort (LER) e bursites graves, poliomelite, má formação de membros, problemas no túnel de carpo e tendinite crônica, manguito rotator, neuropatias diabéticas, doenças renais, Hepatite C e hemofílicos.

Quem for à feira poderá esclarecer todas as dúvidas sobre o assunto. “Teremos exposição de veículos, novidades e tecnologias para pessoas com deficiência, além das montadoras, adaptadoras de veículos, fabricantes de cadeiras de rodas, próteses, espaços de lazer e beleza, praça de alimentação com food-trucks e test-drive com os principais modelos de veículos adaptados”, afirma Rosso.

O presidente da Abridef entende que o melhor caminho para saber tudo o que é necessário sobre a isenção de impostos para compra de um carro zero é por meio do despachante especializado. “É fundamental encontrar um profissional sério e competente, porque há muita ‘picaretagem’ e o cidadão pode acabar enganado”, diz.

Rodrigo Rosso é presidente da Abridef. Foto: Divulgação

Rodrigo Rosso é presidente da Abridef. Foto: Divulgação

Rodrigo Rosso é o criador da Reatech, o maior evento voltado a pessoas com deficiência no País, e da Revista Reação. “Houve no Brasil uma mudança significativa no últimos 20 anos no entendimento sobre o universo da pessoa com deficiência. A inserção no mercado de trabalho, as Paralimpíadas, a Reatech, a Lei Brasileira de Inclusão e outras ações colaboraram muito para esse avanço”, diz.

Em 2008, uma pesquisa feita pela Reatech e pela Revista Reação entrevistou 3.893 em todo o País e constatou que, no Brasil, 42% das pessoas com deficiência são das classes A/B, 44% da classe C, e 14% das classes D/E. “Tem muita pessoa com deficiência que consome, trabalha, estuda. É gente produtiva”, conclui Rosso.

SERVIÇO
Mobility & Show 2016
Data: 24, 25 e 26 de junho
Local: Campo de Marte – Av. Santos Dumont, nº 2.241 – Santana – São Paulo/SP
Entrada e estacionamento gratuitos
Transporte gratuito para pessoas com deficiência na estação Tietê do Metrô

———-