“Para enfrentar o preconceito, pessoas com deficiência devem se capacitar ainda mais”

“Para enfrentar o preconceito, pessoas com deficiência devem se capacitar ainda mais”

O #blogVencerLimites publica até o dia 31 de dezembro uma série de artigos exclusivos, escritos por convidados, sobre as expectativas para o ano de 2021. Leia o texto de Cid Torquato, secretário municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 de dezembro de 2020 | 11h00

Use 26 recursos de acessibilidade digital com a solução da EqualWeb clicando no ícone redondo e flutuante à direita, ouça o texto completo com Audima no player acima, acione a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Foto de Cid Torquato, homem branco de cabelos curtos e pretos. Está sorrindo e olhando para a câmera. Veste uma camisa branca. Crédito: Divulgação.

Descrição da imagem #pracegover: Foto de Cid Torquato, homem branco de cabelos curtos e pretos. Está sorrindo e olhando para a câmera. Veste uma camisa branca. Crédito: Divulgação.


Artigo de Cid Torquato*

Entre outros tantos problemas estruturais no Brasil, na média, as pessoas são muito pouco instruídas e capacitadas tecnicamente. Nossos recursos humanos carecem de capacitação para enfrentar os desafios da atualidade. Talentos são disputados por países e pelas empresas mais competitivas.

O mesmo acontece com profissionais com deficiência. Na verdade, essa é a grande reclamação das empresas, que acabam não cumprindo suas cotas por necessitarem de candidatos mais capacitados para seus quadros.

Sabemos que o argumento acima é muito usado como desculpa por empresas que não querem ou não sabem como contratar colaboradores com deficiência. Tem muita gente qualificada que não consegue emprego à altura de seu conhecimento. Mas se as empresas estão reclamando sistematicamente é porque algo de verídico existe em seus pedidos por mais capacitação.

Ou seja, temos que nos capacitar mais. Capacitação continuada tem que ser o mote. Isso serve para profissionais em geral, com ou sem deficiência. Mas, francamente, diria que, para enfrentar as barreiras do preconceito ainda vigente, as pessoas com deficiência deveriam ter essa preocupação e se capacitar ainda mais.

A boa notícia é que a pandemia acelerou o processo de transformação digital e desmistificou o ensino à distância, ao mesmo tempo em que instituições do mundo todo aumentaram a oferta de cursos online, muitos deles gratuitos. É certo que nem todos são digitalmente acessíveis, o que atrapalha principalmente a participação de pessoas com deficiência visual.

Hoje, com a internet, basta vontade e uma boa conexão para nos capacitarmos sobre tudo o que imaginarmos. Não é isso o que as empresas querem? Mesmo se o objetivo não for um emprego em uma grande empresa, capacitação é a base para concursos, academia e empreendedorismo, entre outros.

Gostaria de instar as pessoas com deficiência a aproveitarem o momento e se capacitarem. E continuarem se capacitando pelo resto da vida. Vamos entrar pelas cotas, mas cada vez mais pelo talento, de forma exemplar, conquistando pela meritocracia a tão buscada inclusão.

Capacitação é inclusão.

*Cid Torquato, advogado, é secretário municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo, ex-secretário adjunto de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo e co-autor de ‘Empreendedorismo sem Fronteiras – Um Excelente Caminho para Pessoas com Deficiência’, que escreveu após ficar tetraplégico, em 2007.


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.