Pessoas com deficiência estão em porões na Ucrânia, sem água, comida e remédios

Pessoas com deficiência estão em porões na Ucrânia, sem água, comida e remédios

Em relato exclusivo ao blog Vencer Limites, cidadã ucraniana afirma que soldados russos atiram em civis que tentam fugir.

Luiz Alexandre Souza Ventura

10 de março de 2022 | 14h20

Foto de uma mulher em cadeira de rodas sendo carregada por dois homens em meio a uma área destruída na Ucrânia.

Não há recursos de acessibilidade para resgatar pessoas com deficiência na Ucrânia. Foto: Ukrayinska Pravda.


Pessoas com deficiência permanecem aprisionadas em porões de prédios residenciais, instituições filantrópicas, internatos e hospitais da Ucrânia, sem água, comida e remédios, e sem qualquer chance de fuga.

A informação foi confirmada com exclusividade ao blog Vencer Limites pela cidadã ucraniana Victoria Stasiv, que está em Lviv.

Segundo Victoria, está prevista para esta quinta-feira, 10, uma evacuação Bucha, município da região (oblast) da capital Kiev, onde ainda há muitos idosos e pessoas doentes, mas os civis têm medo de sair dos abrigos.

“Foi muito difícil para os jovens deixarem Bucha porque as pessoas que estavam correndo foram baleadas por soldados russos no caminho”, diz Victoria.

“Então, o que dizer das pessoas com deficiência, que permanecem há dias no subsolo, sem comida, água e remédios?”, comenta.

Victoria contou que pessoas com deficiência auditiva também estão trancadas e, como os sinais de alerta para fugir são somente sonoros, não são informadas e perdem a oportunidade de escapar.


Idosa transportada em maca por quatro pessoas na Ucrânia.

Foto: Ukrayinska Pravda.


Ela também descreveu a situação no lar para idosos ‘Vida Confortável’ (Комфортная Жизнь) em Bucha. “Não há comida e faz muito frio. Estão sem luz há 12 dias, até a conexão à internet para enviar uma mensagem é precária”, diz.

O local presta cuidados profissionais para idosos com deficiência visual, doença de Alzheimer, demência, doença de Parkinson, sequelas de AVCs e outras condições, além de prover tratamento e reabilitação.

“É muito difícil resgatar idosos, são necessários quatros jovens. E os soldados russos disparam constantemente”, relata Victoria. “Então, eles pedem ao menos por comida e água. Bucha está sempre sob ataque, é muito difícil para qualquer um sair”, afirma.

Victoria Stasiv está em Lviv, segundo ela, a cidade mais segura da Ucrânia neste momento. “Por isso, tenho condições de trabalhar por outras pessoas”, diz.


Idosos com deficiência são colocados em ambulância na Ucrânia.

Foto: Ukrayinska Pravda.


Idosa é transportada em carrinho improvisado na Ucrânia.

Foto: Ukrayinska Pravda.


Idoso ferido é transportado em cadeira de rodas na Ucrânia.

Foto: Ukrayinska Pravda.


LEIA MAIS:

Ucrânia é potência paralímpica que tem população com deficiência invisível

Jornalistas resgatam alunos surdos após bombardeio a escola na Ucrânia

Mulheres com e sem deficiência na Ucrânia

Crianças com deficiências severas permanecem em hospital sob forte bombardeio na Ucrânia

Sem acessibilidade, resgates na Ucrânia não incluem pessoas com deficiência

“Tropas russas capturam pessoas com deficiência e usam como escudo humano”

“Pessoas com deficiência estão morrendo na Ucrânia sem chance de defesa”

Diretoras de dois orfanatos salvam crianças com deficiência durante bombardeios na Ucrânia

Sanções à Rússia bloqueiam recursos de instituições que cuidam de pessoas com deficiência na Ucrânia

Mulheres com deficiência fazem coquetéis molotov na Ucrânia

ONG consegue levar 35 pessoas com deficiência da Ucrânia para a Polônia

“Guerra pode dizimar a população com deficiência da Ucrânia”

“Guerra expõe antipatia da Ucrânia à população com deficiência”, diz Accessibility.com

Ator alemão lidera ação para resgatar pessoas com deficiência na Ucrânia

Pessoas com deficiência estão presas em Kiev

Guerra na Ucrânia já provoca abandono de pessoas com deficiência intelectual

“Situação das pessoas com deficiência na Ucrânia é terrível”, diz Fórum Europeu da Deficiência

ONU prevê deslocamento de 225 mil pessoas com deficiência na Ucrânia



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.