“Precisamos de muitas políticas públicas para a população surda”

“Precisamos de muitas políticas públicas para a população surda”

O #blogVencerLimites publica até o dia 31 de dezembro uma série de artigos exclusivos, escritos por convidados, sobre as expectativas para o ano de 2021. Leia o texto de Cleber Santos, diretor da Helpvox.

Luiz Alexandre Souza Ventura

19 de dezembro de 2020 | 11h00

Use 26 recursos de acessibilidade digital com a solução da EqualWeb clicando no ícone redondo e flutuante à direita, ouça o texto completo com Audima no player acima, acione a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Foto de Cleber Santos, homem branco, de cabelos pretos e curtos, barba preta. Veste paletó e camisa pretas. Está com os braços cruzados e tem um relógio prateado no pulso esquerdo. Está sorrindo e olhando para a câmera. Ao fundo, uma parede branca. Crédito: Reprodução.

Descrição da imagem #pracegover: Foto de Cleber Santos, homem branco, de cabelos pretos e curtos, barba preta. Veste paletó e camisa pretas. Está com os braços cruzados e tem um relógio prateado no pulso esquerdo. Está sorrindo e olhando para a câmera. Ao fundo, uma parede branca. Crédito: Reprodução.


Artigo de Cleber Santos*

Somos testemunhas de uma guerra. E será um aprendizado doloroso. Nossas armas são álcool em gel ‘calibre’ 70, máscara à prova de espirros e a internet, mas quantos têm realmente acesso?

Desde o começo da Pandemia recebo informações sobre mortes de pessoas surdas. E investiguei quais locais estão preparados para atender pacientes com deficiência auditiva.

Descobri que nenhum hospital, laboratório ou farmácia está verdadeiramente capacitado para receber uma pessoa surda, assim como a própria indústria farmacêutica e até as equipes de resgate, de emergência, do SAMU.

Um absurdo. O Brasil ainda precisa de muitas políticas públicas para a população surda

É fato que, área da saúde, pessoas surdas são heróicas, desbravadoras em busca de informações num idioma desconhecido. Isoladas, recorrem à web para tudo, desde a compra de comida até a procura por remédios. E nunca são lembradas por quem constrói e administra os sites de vendas, de serviços, públicos ou privados.

Na educação, pelos mesmos motivos, o ano de 2020 foi perdido para alunos surdos.

No universo das pessoas com deficiência, a pandemia gerou uma contradição. Este momento de distanciamento, de isolamento social, deveria criar vantagens para esse grupo. Acostumados à clausura em casa, profissionais com deficiência deveriam ser contratados para executar trabalhos importantes, garantindo a manutenção da economia do nosso País, sem julgamentos por suas deficiências, mas exclusivamente pela eficiência. Quem soube aproveitar essas características não se arrepende.

Enxergo nesse cenário uma nova oportunidade de capacitar quem não teve acesso ao conhecimento, à educação, fornecendo cursos e ferramentas para a atuação profissional.

No próximo ano, se aprendemos algo neste que termina, creio que precisamos de mais inclusão e respeito às leis. Precisamos acabar com os problemas de acessibilidade, em nosso País e no mundo. A falta de informação sobre esse tema me preocupa muito, especialmente quando esse desconhecimento chega a quem cria as leis, aprova as regras e julga os desobedientes.

*Cleber Santos é diretor da Helpvox, empresa de tecnologia para a inclusão de pessoas surdas ou com deficiência auditiva.


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.