Prêmio ‘Rui Bianchi’, para reportagens sobre pessoas com deficiência, recebe inscrições

Prêmio ‘Rui Bianchi’, para reportagens sobre pessoas com deficiência, recebe inscrições

Premiação exclusiva para estudantes chega para provocar reflexão sobre o papel do jornalista na construção de uma sociedade mais inclusiva e sobre o efeito que reportagens podem ter na maneira como a sociedade percebe e se relaciona com as pessoas com deficiência.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 Setembro 2015 | 10h15

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

———-

Atualizado às 13h40 – A formação do jornalista começa muito antes da faculdade. É construída a partir dos valores que aprende em casa, na escola, na vida, transportados e modificados a cada nova experiência. Quando formado, esse jornalista mergulha na tempestade, e precisa aprender a sobreviver com as próprias forças.

Nós, jornalistas, somos constantemente estimulados a acreditar que nosso valor está acima da notícia, da história, do entrevistado, até do próprio jornalismo. E, na minha avaliação, nos tornamos verdadeiramente jornalistas somente quando deixamos de acreditar em nossa importância e passamos a entender que todo o resto é maior do que nós.

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

Por isso, o Prêmio de Jornalismo Rui Bianchi, que recebe inscrições até o dia 22 de outubro, promove uma mudança ainda durante a formação do jornalista, antes de este mergulhar na tempestade, antes de ser ‘contaminado’ pela autovalorização exacerbada.

Criado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do Governo de SP, tem a proposta de premiar reportagens sobre pessoas com deficiência, feitas exclusivamente por estudantes, publicadas entre 1º de janeiro de 2015 e 22 de outubro de 2015 em veículos e programas de responsabilidade de universidades e faculdades reconhecidas pelo MEC.

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

Painel no Memorial da Inclusão, em São Paulo, reflete o pensamento de Rui Bianchi. Foto: blog Vencer Limites

É uma ação que atinge o núcleo de um problema frequente: a ausência da grande imprensa brasileira no debate sobre o universo da pessoa com deficiência no Brasil.

A proximidade dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016 provocou um crescimento na quantidade de reportagens sobre o assunto, mas o ‘tom’ ainda é mesmo de 15 ou 20 anos atrás. Prevalece o pieguismo, o chamado à piedade, o resumo da acessibilidade a uma questão arquitetônica enfrentada por quem usa cadeira de rodas (ignorando todos os outros recursos disponíveis e todas as outras deficiências conhecidas). Em rádio ou TV, surgem a música triste e a imagem em câmera lenta.

Estudantes de todo o País podem fazer inscrição até o dia 22 de outubro de 2015. Imagem: Reprodução

Estudantes de todo o País podem fazer inscrição até o dia 22 de outubro de 2015. Imagem: Reprodução

Há muito mais a ser discutido, apresentado, exigido da sociedade e do poder público. Existe, por exemplo, a sansão da Lei Brasileira de Inclusão, no último dia 6 de agosto – acompanha por sete vetos da presidente Dilma Rousseff (PT) -, que começa a vigorar em todo o País no dia 1º de janeiro de 2016. Ainda no âmbito da LBI, é necessário entender porque uma associação que representa escolas particulares que invalidar a lei, tornando-a inconstitucional. Por que escolas privadas querem o cancelamento de uma lei que prevê inclusão?

Existe ainda o problema da comunicação, com a escassez de recursos de acessibilidade como audiodescrição, legendas, braille e a Língua Brasileira de Sinais (Libras) em eventos culturais, no teatro, nos cinemas e na TV. Por que museus, auditórios, prédios, estádios, ginásios, hospitais e outros locais públicos e privados não contemplam todos os itens acessíveis em sua concepção, no papel, antes da construção começar?

Cerimônia de lançamento foi realizada nesta segunda-feira no Memorial da Inclusão, em São Paulo. Foto: Divulgação

Cerimônia de lançamento foi realizada nesta segunda-feira no Memorial da Inclusão, em São Paulo. Foto: Divulgação

Também temos de nos lembrar dos termos corretos e abandonar nomenclaturas consideradas equivocadas e ultrapassadas, como ‘deficiente’, ‘portador de necessidades especiais’, ‘surdo-mudo’, ‘cego parcial’, ‘necessidades especiais’, além de compreender com maior profundidade quais são as deficiências existentes e, desta forma, apreender a descrevê-las da forma certa.

O prêmio tem quatro categorias: jornalismo impresso, telejornalismo, webjornalismo e radiojornalismo. Podem fazer inscrição estudantes de todo o País.

Entenda – Rui Bianchi do Nascimento (1949-2001) foi um ativista do movimento social das pessoas com deficiência. Seu maior desejo era ampliar o acesso das pessoas com deficiência a informações sobre seus direitos civis e humanos. Era mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Saiba mais na página oficial: http://premiodejornalismo.sedpcd.sp.gov.br/index.html.

———-

Mais conteúdo sobre:

Prêmio de Jornalismo Rui Bianchi