Procura pelo serviço ICOM de tradução em Libras cresce 300%

Procura pelo serviço ICOM de tradução em Libras cresce 300%

Busca subiu no segundo trimestre de 2021 e continua aumentando, segundo a associação que desenvolveu a plataforma. "Mostra uma importante consciência das organizações e órgãos públicos. Na jornada ESG, empresas conquistam novos clientes ao incluir pessoas com deficiência", diz a instituição.

Luiz Alexandre Souza Ventura

29 de julho de 2021 | 16h32

Foto de ima intérprete de Libras do ICOM em frente ao computador conversando com uma cliente.

No Brasil, conforme dados do IBGE, 2,7 milhões de pessoas, ou 5% da população, são surdas. Crédito: Divulgação.


A procura pelo ICOM, serviço de tradução simultânea de Libras desenvolvido pela AME, cresceu 300% no segundo trimestre de 2021, segundo dados da instituição. E essa procura continua subindo. Na comparação com todo o ano passado, há elevação de 15%, diz a entidade.

“Ao entender a importância de atender o surdo, seja funcionário de uma empresa, consumidor ou cidadão, organizações brasileiras dão um passo importante na promoção da inclusão”, afirma José Araújo Neto, fundador e presidente da AME, organização que atua pela inclusão.

“Esse aumento aponta para uma importante consciência das corporações e dos órgãos públicos”, comenta Araújo Neto.

Entre as empresas que já usam o serviço estão Americanas, SBF, Mondelez, Scania, além das prefeituras de Indaiatuba e de Piracicaba. “O ICOM oferece uma experiência de comunicação ágil e eficiente, melhora as relações e pode gerar mais negócios”, diz Cid Torquato, diretor executivo do ICOM.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), deficiência auditiva é a redução na capacidade de ouvir sons, em um ou ambos os ouvidos, de maneira leve a severa, e a pessoa usa língua oral ou aparelhos para ouvir. A pessoa surda, define a OMS, não tem capacidade de ouvir em ambos ouvidos e usa a língua de sinais.

No Brasil, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), 10 milhões de pessoas, ou 5% da população, são surdas. Desse total, 2,7 milhões não escutam absolutamente nenhum som.


Foto mostra duas fileiras de espaços de trabalho com intérpretes de Libras do serviço ICOM conversando com clientes pelo computador.

Entre as empresas que já usam o serviço estão Americanas, SBF, Mondelez, Scania, além das prefeituras de Indaiatuba e de Piracicaba. Crédito: Divulgação.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.