Professora cria método 3D para ensinar matemática a alunos com deficiência

Professora cria método 3D para ensinar matemática a alunos com deficiência

Aulas do ensino regular em escola da rede estadual de SP têm gráficos montados com materiais recicláveis coletados pelos estudantes.

Luiz Alexandre Souza Ventura

19 de outubro de 2020 | 11h13

Use 26 recursos de acessibilidade digital com a solução da EqualWeb clicando no ícone redondo e flutuante, ouça o texto completo com Audima no player acima, acione a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Foto de um grupo de estudantes em volta de um gráfico matemático construído com uma cartela de ovos e tampinhas de garrafa pet. Crédito: Divulgação.

Descrição da imagem #pracegover: Foto de um grupo de estudantes em volta de um gráfico matemático construído com uma cartela de ovos e tampinhas de garrafa pet. Crédito: Divulgação.


A professora Rozeli Imaculada, docente da Escola Estadual de São Paulo (E.E. S.Paulo), no Brás, região central da capital paulista, desenvolveu um método em três dimensões (3D) para ensinar matemática aos alunos com deficiência do curso regular.

O trabalho é feito há três anos. Materiais recicláveis, como tampinha de garrafa pet e cartela de ovos, coletados pelos próprios estudantes, com e sem deficiência, são transformados em gráficos para ajudar na resolução de problemas propostos.

“Essa atividade estimula sentidos não explorados na rotina diária dos estudantes”, diz a professora. “É essencial para o desenvolvimento socioemocional dos alunos porque incentiva o trabalho em grupo”, explica a docente.

O método é usado no ensino médio, com os alunos que estudam em tempo integral, aplicado semanalmente.

“Os estudantes interagem com materiais lúdicos, uns com mais facilidades do que outros, constroem conhecimento compartilhado e significativo”, comenta a professora. “Assim, mantenho a equivalência nas minhas turmas, com entusiasmo e alegria em aprender”, completa Rozeli Imaculada.


REPORTAGEM COMPLETA EM LIBRAS (EM GRAVAÇÃO)
Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais.


Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: